É possível reduzir custos com Hiperautomação?

Muitas empresas se apegam a valores e metodologias tradicionais, que envolvem tarefas repetitivas e cansativas. Porém, é impossível caminhar para o futuro, quando ainda se vive preso a tecnologias do passado. Com a hiperautomação, elas podem oferecer serviços de qualidade superior para os seus clientes, com redução de custos e maior produtividade.

A hiperautomação trabalha com economia de recursos, demonstrando que a qualidade do processo não depende da quantidade de serviços, mas sim de um sistema preciso e eficiente. Neste artigo, vamos mostrar como essa estratégia permite transformar os padrões tradicionais das empresas, automatizando processos, valorizando pessoas e favorecendo a criação de novos modelos de negócios. 

Principais vantagens da hiperautomação

As principais vantagens da hiperautomação são a redução de custos, a escalabilidade dos processos, o aumento da eficiência e a possibilidade de automatizar tarefas burocráticas. Além disso, essa estratégia permite direcionar melhor o uso da mão de obra, flexibilizar as jornadas de trabalho e aumentar a consistência dos negócios.

Geralmente, as tarefas de rotina podem consumir cerca de 60% do tempo dos funcionários das empresas. Com a hiperautomação, tarefas demoradas e repetitivas antes feitas pelas pessoas são agora desempenhadas por bots, aumentando assim a produtividade e escalabilidade do negócio. Essa mudança permite que os colaboradores possam se dedicar a atividades mais relevantes e voltadas para finalidades específicas do negócio.

Na hiperautomação, os sistemas competentes operam com direcionamento funcional e estratégico. Desse modo, é possível escalar programas compactos e simples, compostos por competências diversas, para realizar tarefas complexas pela metade do tempo e de forma automatizada. Até porque as máquinas são capazes de trabalhar 24 horas por dia, sete dias da semana, aumentando a produtividade de toda a empresa.

Nesse contexto, é possível economizar recursos não apenas em mão de obra despendida — que pode ser alocada em serviços que exijam maior intervenção humana —, mas também em implantação, implementação e atualização. Dessa maneira, todos os processos acontecem de forma ágil, simples e financeiramente sustentável.

Muito mais do que um upgrade tecnológico

Antes de ser uma mudança de mecanismos, a hiperautomação envolve toda uma mudança de mentalidade e uma transformação dos padrões dos sistemas tradicionais. O núcleo técnico dessa estratégia é focado em RPA (Robotic Process Automation), mas atua em conjunto com ações de inteligência artificial, machine learning, user experience, analytics, process mining, entre outros recursos.

Essas tecnologias possibilitam automatizar diversos processos repetitivos e torná-los mais eficientes e econômicos. Os robôs de software podem realizar tarefas rotineiras com muito mais rapidez e facilidade do que trabalhadores comuns. 

Mas a hiperautomação vai além, equipando soluções com inteligência artificial e aprendizado de máquinas para modernizar a automatização de serviços mais complexos. Ela não se limita a uma simples troca de sistemas, mas requer também um aperfeiçoamento da infraestrutura de serviços e um alinhamento dos processos às novas necessidades do mercado.

Mais do que qualquer outra coisa, essa mudança traz principalmente um impacto cultural, promovendo o aumento das capacidades humanas para identificar e automatizar rapidamente todos os processos de negócios possíveis. O objetivo não é apenas automatizar tarefas, mas modernizar processos para ressignificar soluções e satisfazer às novas demandas dos clientes. 

A colaboração entre trabalhadores digitais e humanos aumenta o engajamento e torna as empresas mais competitivas, devido à capacidade de gerar rapidamente novos modelos de negócio, com menor risco e maior previsibilidade.

Novos modelos de negócios

Além de aumentar a produtividade, a hiperautomação ajuda a modernizar os serviços e a ampliar a cartela de clientes das empresas. Tudo começa com uma reavaliação de estruturas existentes para analisar processos, investigar serviços e aprimorar as tecnologias utilizadas, em busca da excelência operacional. 

Com essa estratégia, novos modelos de negócios digitais podem ser testados e desenvolvidos, a partir de Digital Twins, ou gêmeos digitais. A ideia por trás desse recurso é criar uma réplica virtual, completamente fiel a um objeto físico, de modo que seja capaz de fornecer todas as perspectivas e dados importantes sobre a utilização do produto. Com esse recurso, é possível verificar a viabilidade desses novos modelos, sem que haja impacto nos negócios ou na imagem das empresas.

Além disso, o monitoramento fornece dados e métricas, que podem ser usados para indicar a necessidade de mudanças na gestão desses processos. Desse modo, os processos podem ser controlados, em busca de um aumento contínuo da eficiência.

Você pode contar com a Certsys para descobrir o melhor caminho para a adoção de tecnologia de hiperautomação, reduzir gastos e aumentar a produtividade. Com inúmeros projetos entregues, nós temos como missão oferecer soluções tecnológicas inovadoras e competitivas, com grande foco na qualidade, na satisfação do cliente e na Transformação Digital.

 

Como a hiperautomação contribui para melhorar a experiência do usuário

Muito tem sido falado sobre como as empresas devem investir em automação e Inteligência Artificial para economizar tempo e reduzir gastos. Mas as organizações nem sempre percebem que os seus clientes também querem que as suas experiências pessoais sejam beneficiadas da mesma maneira.

Segundo o Gartner, o futuro do autoatendimento é justamente a automação voltada para os clientes, pois eles esperam cada vez mais uma experiência realizada sem esforço e em escala.

Nesse contexto, as empresas estão se voltando para métodos de engajamento inteligentes e autônomos, como voz e outras tecnologias baseadas em IA, para dar aos clientes o que eles desejam e obter maior eficiência operacional.

Neste artigo, vamos mostrar como a hiperautomação e a UX podem ajudar a melhorar as soluções voltadas para os usuários finais das empresas.

Mas, afinal, o que significa UX?

O termo UX (User Experience) – em português, Experiência do Usuário – se refere ao modo como o cliente interage com o seu produto ou serviço a partir dos elementos disponibilizados. O termo foi popularizado por Don Norman, enquanto trabalhava na Apple, na década de 1990.

Originalmente, o UX se referia à experiência que as pessoas tinham quando compravam os computadores. Don Norman notou que o contato inicial com essas máquinas era geralmente fraco. Afinal, após comprar um computador numa loja, elas notavam que a caixa grande usada para ser transportada em seu carro, e ao chegar em casa elas se davam conta de que não sabiam como montá-lo ou utilizá-lo.

Portanto, a User Experience envolve tudo o que o usuário sente ao usar um produto, sistema ou serviço – seja essa experiência boa ou ruim. Segundo Don Norman, o termo ser refere ao próprio modo como as pessoas se relacionam com a vida e o mundo. Porém, o conceito depois passou a ser utilizado das mais diversas maneiras, como para se referir à eficácia e facilidade de uso de websites e aplicativos, perdendo assim o seu significado original.

Qual é a relação entre hiperautomação e UX?

As empresas estão sempre buscando maneiras mais eficientes e inovadoras de atender às expectativas dos seus clientes. Com a automação, elas conseguem um apoio estratégico para que possam enfrentar a concorrência acirrada do mercado e se tornar mais competitivas. 

Antes de ser um upgrade de mecanismos, a hiperautomação envolve uma mudança de mentalidade corporativa. Por meio da transformação digital e da automação de processos, ela busca melhorar a experiência do cliente, modernizar processos e satisfazer novas demandas.

Afinal, a jornada da hiperautomação começa e termina focada em pessoas – seja para aproveitar as capacidades humanas e permitir que os profissionais de TI se dediquem a tarefas mais importantes para o negócio ou para melhorar o canal de comunicação com o cliente. 

Para possibilitar a melhor experiência possível para o usuário final, é necessário haver uma colaboração estratégica entre o Digital Workflows (automatizar o fluxo de trabalhos) e o Conversation UX (humanizar a linguagem dos processos automatizados). Além disso, é preciso desenvolver as competências técnicas e digitais do operacional, utilizando AIOps (Inteligência Artificial para Operações de TI) e o Machine Learning (aprendizado de máquina). 

Ao simplificar a comunicação entre sistemas, processos e operações, acabamos melhorando o canal de interação com o cliente e agregando uma qualidade integral ao serviço. Além disso, a crescente demanda por atendimento diferenciado e canais de comunicação diversificados exige o uso de fluxos de trabalho automatizados, capazes de criar melhores experiências para os seus clientes e colaboradores. 

Com uma solução com recursos omnichannel focados no Customer Centric e na Experiência de Clientes, as organizações podem oferecer suporte aos clientes a partir de mensagens, web, chat, email, telefone, mídia social e pessoalmente.

Como ajudamos você a construir a experiência do cliente

A transformação digital envolve tanto melhorar a experiência do cliente quanto aumentar a produtividade e a qualidade dos produtos e serviços. Combinar a experiência do cliente e a excelência operacional resulta em interações mais ricas, que proporcionam relacionamentos genuínos e de longo prazo com os clientes.

Muito mais do que um fornecedor, a Certsys é um trust advisor em tecnologia de seus clientes, com o objetivo de alavancar o uso da tecnologia dentro das empresas e extrair o máximo dela. O objetivo é que a tecnologia gere os melhores resultados para os clientes, entendendo o momento de cada um deles e sugerindo a melhor solução de maneira eficiente.

Com inúmeros projetos entregues, a Certsys continua ampliando e investindo em inovação. A partir de soluções, controle e processos de TI bem consolidados, a empresa tem como missão oferecer soluções tecnológicas inovadoras e competitivas, com grande foco na qualidade, na satisfação do cliente e na Transformação Digital. Saiba mais sobre a Hiperautomação.