Desafios e melhores práticas para a segurança na nuvem

As empresas precisam reforçar a segurança na nuvem para fortalecer a sua estratégia de transformação digital e dar suporte ao uso de ferramentas e serviços baseados em nuvem como parte de sua infraestrutura. A segurança na nuvem é um conjunto de procedimentos e tecnologias projetados para lidar com ameaças externas e internas à segurança dos negócios.

Os termos transformação digital e migração para nuvem têm sido usados ​​regularmente pelas corporações nos últimos anos. Embora ambas as frases possam significar coisas diferentes para organizações diferentes, cada uma é orientada por um denominador comum: a necessidade de mudança.

À medida que as empresas adotam esses conceitos e buscam otimizar a sua abordagem operacional, novos desafios surgem ao equilibrar os níveis de produtividade e segurança. Embora tecnologias mais modernas ajudem as organizações a desenvolver recursos fora dos limites da infraestrutura local, a transição principalmente para ambientes baseados em nuvem pode ter várias implicações se não for feita com segurança.

Encontrar o equilíbrio certo requer uma compreensão de como as empresas modernas podem se beneficiar do uso de tecnologias de nuvem interconectadas enquanto implementam as melhores práticas de segurança em nuvem.

Por que a segurança na nuvem é importante?

A computação em nuvem refere-se ao processo de acesso a recursos, software e sistemas adjacentes [ETGdS1] pela Internet e fora dos limites das restrições locais de hardware. Essa tecnologia dá às organizações flexibilidade ao escalar suas operações, transferindo uma parte, ou a maior parte, de seu gerenciamento de infraestrutura para provedores de hospedagem terceirizados. Porém, as empresas precisam compartilhar com esses provedores a responsabilidade pela segurança de seus dados.

Nas empresas modernas, tem havido uma transição crescente para ambientes baseados em nuvem e modelos de computação IaaS, Paas ou SaaS. A natureza dinâmica do gerenciamento de infraestrutura, especialmente em aplicativos e serviços de escalonamento, pode trazer uma série de desafios para as empresas. Esses modelos como serviço oferecem às organizações a capacidade de descarregar muitas das tarefas demoradas relacionadas à TI.

À medida que as empresas continuam migrando para a nuvem, compreender os requisitos de segurança para manter os dados protegidos tornou-se crítico. Embora provedores de computação em nuvem terceirizados possam assumir o gerenciamento dessa infraestrutura, a responsabilidade pela segurança e responsabilidade dos ativos de dados não necessariamente muda junto com ela.

Por padrão, a maioria dos provedores de nuvem segue as melhores práticas de segurança e toma medidas ativas para proteger a integridade de seus servidores. No entanto, as organizações precisam fazer as suas próprias considerações ao proteger dados, aplicativos e cargas de trabalho em execução na nuvem.

À medida que o cenário digital continua a evoluir, as ameaças à segurança tornam-se cada vez mais avançadas. Essas ameaças muitas vezes miram os provedores de computação em nuvem, devido à falta geral de visibilidade de algumas empresas no acesso e movimentação de dados. Sem tomar medidas ativas para melhorar sua segurança na nuvem, as organizações podem enfrentar riscos significativos de governança e conformidade ao gerenciar as informações, independentemente de onde elas estejam armazenadas.

Portanto, as adoção bem-sucedida da nuvem dependem da implementação de contramedidas adequadas para a defesa contra os ataques cibernéticos modernos. Independentemente de sua organização operar em um ambiente de nuvem pública, privada ou híbrida, as soluções de segurança em nuvem e as melhores práticas são necessárias para garantir a continuidade dos negócios.

Quais são os desafios de segurança na nuvem?

Falta de visibilidade

Muitos serviços em nuvem são acessados ​​fora das redes corporativas e por meio de terceiros. Por isso, as empresas precisam ter cuidado para garantir a visibilidade de seus dados e não perder o controle sobre como seus dados estão sendo acessados ​​e por quem.

Múltiplos tenants

Ambientes de nuvem pública hospedam várias infraestruturas de cliente sob o mesmo guarda-chuva. Portanto, é possível que os seus serviços hospedados possam ser comprometidos por invasores mal-intencionados, trazendo danos colaterais ao atingir outros negócios.

Gerenciamento de acesso e shadow IT

Embora as empresas possam gerenciar e restringir os pontos de acesso em sistemas locais, administrar esses mesmos níveis de restrições em ambientes de nuvem pode ser um desafio. Isso pode ser perigoso para organizações que não implantam políticas Bring Your Own Device (BYOD) e permitem acesso não filtrado a serviços em nuvem de qualquer dispositivo ou geolocalização.

Conformidade

O gerenciamento de conformidade regulatória costuma ser uma fonte de confusão para empresas que usam implantações de nuvem pública ou híbrida. A responsabilidade geral pela privacidade e segurança dos dados ainda é da empresa, e a forte dependência de soluções de terceiros para gerenciar esse componente pode levar a problemas de conformidade onerosos.

Configurações erradas

Ativos mal configurados foram responsáveis ​​por 86% dos registros violados em 2019, tornando o colaborador inadvertido um problema-chave para ambientes de computação em nuvem. As configurações incorretas podem incluir deixar as senhas administrativas padrão no lugar ou não criar configurações de privacidade apropriadas.

Soluções de segurança em nuvem disponíveis

Gerenciamento de identidade e acesso (IAM)

As ferramentas e serviços de gerenciamento de identidade e acesso (IAM) permitem que as empresas implantem protocolos de aplicação orientados por políticas para todos os usuários que tentam acessar serviços locais e baseados em nuvem. A principal funcionalidade do IAM é criar identidades digitais para todos os usuários. Desse modo, eles podem ser ativamente monitorados e restritos quando necessário durante todas as interações de dados.

Prevenção de perda de dados (DLP)

Os serviços de prevenção de perda de dados (DLP) oferecem um conjunto de ferramentas e serviços projetados para garantir a segurança dos dados regulamentados na nuvem. As soluções de DLP usam uma combinação de alertas de correção, criptografia de dados e outras medidas preventivas para proteger todos os dados armazenados, seja em repouso ou em movimento.

Informações de segurança e gerenciamento de eventos (SIEM)

O gerenciamento de informações e eventos de segurança (SIEM) fornece uma solução abrangente de orquestração de segurança que automatiza o monitoramento, detecção e resposta de ameaças em ambientes baseados em nuvem. Usando tecnologias orientadas por inteligência artificial (AI) para correlacionar dados de log em várias plataformas e ativos digitais, a tecnologia SIEM oferece às equipes de TI a capacidade de aplicar com sucesso os seus protocolos de segurança de rede.

Continuidade de negócios e recuperação de desastres

Independentemente das medidas preventivas adotadas para as suas infraestruturas locais e baseadas na nuvem, as empresas ainda podem sofrer violações de dados e interrupções disruptivas. Por isso, elas devem ser capazes de reagir rapidamente às vulnerabilidades recém-descobertas ou às interrupções significativas do sistema. As soluções de recuperação de desastres são essenciais na segurança da nuvem e fornecem às organizações as ferramentas, serviços e protocolos necessários para agilizar a recuperação de dados perdidos e retomar as operações normais de negócios.

Melhores práticas de segurança na nuvem

Responsabilidade compartilhada pela segurança

Geralmente, o provedor de cloud é responsável por garantir a infraestrutura em cloud, e o cliente é responsável por proteger seus dados dentro da cloud. Porém, também é importante definir claramente a propriedade de dados entre terceiros privados e públicos.

Criptografia de dados

Os dados devem ser criptografados enquanto em repouso, em trânsito e em uso. Os clientes precisam manter o controle total sobre chaves de segurança e módulo de segurança de hardware.

Identidade do usuário e gerenciamento de acesso

O cliente e as equipes de TI precisam de total compreensão e visibilidade do acesso a dados, dispositivo e aplicativo.

Gestão colaborativa

A soma de uma comunicação adequada com processos claros entre TI, operações e equipes de segurança garantem integrações em cloud contínuas seguras e sustentáveis.

Segurança e monitoramento de conformidade

Isso começa com a compreensão de todos os padrões de conformidade regulamentares aplicáveis ao seu mercado e a configuração do monitoramento ativo de todos os sistemas conectados e serviços baseados em cloud para manter a visibilidade de todas as trocas de dados entre ambientes de cloud pública, privada e híbrida.

Quando implementada corretamente, a proteção de dados na nuvem pode ajudar a enfrentar os desafios mencionados acima e permitir que as organizações protejam dados críticos em sua escolha de serviços de nuvem pública ou privada.

A IBM Cloud é uma plataforma que engloba diferentes serviços de Cloud à criação de soluções para empresas que buscam acelerar e modernizar o seu fluxo de trabalho. Ela disponibiliza mais de 170 produtos e serviços que abrangem recursos de dados, contêineres, IA, IoT e blockchain.

A Certsys e a IBM podem auxiliar a sua empresa a obter vantagens competitivas com o desenvolvimento em nuvem, fornecendo toda a tecnologia necessária, com o melhor desempenho e flexibilidade.

Acesse aqui.

Por que processos de negócio e workflows estão virando digitais?

Antes de qualquer operação acontecer, tudo parte de uma gestão das atividades e da capacitação do operacional. Para eliminar tarefas manuais repetitivas e facilitar a organização do processo, aplicamos princípios técnicos e metódicos da automação no contexto de Workflow (fluxo de trabalhos).

Automatizar um fluxo de trabalho é entregar aos processos uma gama de competências digitais para otimizar operações e agregar mais valor ao produto.

Cuidar do fluxo de trabalhos é visualizar cada tarefa em tempo real e evitar que algo altere ou prejudique o andamento do processo. Executar as etapas automaticamente e aplicar recursos digitais aos procedimentos faz o gerenciamento de tarefas e equipes ser cada vez mais adaptável, produtivo, ágil, inteligente e eficiente.

Por que automatizar processos e workflow?

Para agilizar negócios e usar com consciência os dois principais recursos de uma organização: tempo e pessoas.

Transformar digitalmente atividades, processos e fluxo de trabalho, é ir além do automático e se preocupar com governança integral do negócio.
Além de simplificar a comunicação interna, automatizar múltiplas tarefas esclarece as demandas do time e reduz erros provocados pela falta de direcionamento.

Através de um exame operacional, munido de ferramentas analíticas e digitais, é possível identificar fragilidades técnicas, eliminar etapas desnecessárias, reduzir custos com correção de falhas processuais e produzir com uma performance multidisciplinar. Depois da coleta desses dados, pod