Entenda como funciona a Nuvem Pública

Muitas empresas estão movendo partes de sua infraestrutura de computação para a nuvem pública porque esse modelo  possibilita reduzir os gastos com hardware e infraestruturas locais e evita o desperdício de recursos, uma vez que os clientes pagam apenas pelo que usam.

Além disso, os serviços de nuvem pública são elásticos e prontamente escalonáveis. Portanto, eles se ajustam com flexibilidade para atender às demandas de carga de trabalho em constante mudança.

Neste artigo, vamos explicar o que é uma nuvem pública e o que ela oferece em comparação com os modelos de nuvem privada e de computação em nuvem híbrida.

O que é uma nuvem pública?

O surgimento e a adoção de serviços de nuvem pública é uma das mudanças mais importantes na história da computação corporativa. Uma nuvem pública é um tipo de computação em nuvem em que um provedor de serviços terceirizado cria recursos de computação para completar infraestruturas e desenvolvimento e oferece plataformas de nível empresarial – disponíveis para usuários na Internet pública. Esses recursos podem ser acessíveis gratuitamente, geralmente de forma limitada, ou o acesso pode ser vendido de acordo com modelos de preços baseados em assinatura ou de pagamento por uso.

O provedor de nuvem pública possui e administra os data centers onde as cargas de trabalho dos clientes são executadas. Os provedores de serviços assumem a responsabilidade por todo hardware e manutenção de infraestrutura e fornecem conectividade de rede de alta largura de banda para garantir acesso rápido a aplicativos e dados. O provedor de nuvem também gerencia o software de virtualização subjacente. Em sua forma mais simples, o modelo de nuvem pública é a versão computacional do modelo “utilitário” que todos usamos ao consumir eletricidade ou água em nossas casas.

As arquiteturas de nuvem pública são ambientes multilocatários – os usuários compartilham um pool de recursos virtuais que são provisionados e alocados automaticamente para locatários individuais por meio de uma interface de autoatendimento. Essa é o principal meio de acesso aos recursos, sendo também o mais preferido por quem não possui viés mais técnico, mas podem também os recursos ser acessados por meio de APIS ou ainda por linha de comando específica de cada provedor. Isso significa que várias cargas de trabalho de locatários podem executar instâncias de CPU em um servidor físico compartilhado ao mesmo tempo. No entanto, os dados de cada locatário da nuvem são logicamente isolados dos outros locatários.

Serviços de nuvem pública

Uma ampla gama de serviços de computação em nuvem pública está disponível hoje, compreendendo várias ofertas e modelos de serviço. Quase qualquer serviço que não exija proximidade física com o hardware que o hospeda, agora pode ser fornecido pela nuvem.

Os três modelos de serviço em nuvem mais comuns são os seguintes:

Infraestrutura como serviço (IaaS): Em IaaS, o provedor de nuvem pública oferece acesso a recursos fundamentais de computação, rede e armazenamento sob demanda pela Internet pública ou por meio de conexões dedicadas. Isso pode consistir em acesso direto ao hardware subjacente – um modelo conhecido como bare metal. Mas o mais comum é o acesso a recursos já virtualizados. Resumidamente, os serviços IaaS mais consumidos hoje nas nuvens públicas são as chamadas Máquinas Virtuais.           

Plataforma como serviço (PaaS): o PaaS fornece aos desenvolvedores de aplicativos uma plataforma completa – incluindo todo o hardware, software e infraestrutura necessários – na qual os aplicativos podem ser construídos, executados e gerenciados. Toda a infraestrutura da plataforma é normalmente gerenciada