IBM Cloud: Desafios para implantação da arquitetura na nuvem

Cada vez mais, as empresas precisam modernizar as plataformas de infraestrutura legadas para que possam ter mais agilidade, flexibilidade e velocidade. Por isso, elas tendem a migrar as suas cargas operacionais para a public cloud, um sistema que oferece melhor desempenho e mais recursos, por custos menores. 

Para acelerar a Transformação Digital, escalar os seus investimentos em nuvem e gerenciar projetos com segurança, as empresas necessitam de modelos com padrões abertos, que permitam tirar proveito dos seus dados, processos e aplicações de negócios. Além disso, uma plataforma de nuvem deve oferecer transparência e facilidade de gerenciamento, para que as empresas possam se tornar mais competitivas e adotar todo o potencial que a tecnologia oferece. 

Porém, a adoção da nuvem pública traz alguns desafios, especialmente para organizações de TI, pois requer investimentos em tecnologias, processos e conjuntos de habilidades. Em um cenário de necessidades complexas de segurança, carga de trabalho e hospedagem de dados, os líderes empresariais precisam achar uma estratégia que atenda às necessidades das suas empresas.

Neste artigo, vamos explicar quais são os principais desafios para implementar a nuvem pública e apontar caminhos para superá-los.

Como modernizar a sua infraestrutura

Antes de utilizar a tecnologia de computação em nuvem para um negócio, os empreendedores devem considerar diversos fatores. Muitas organizações acreditam que a natureza complexa de sua arquitetura de TI atual é um dos principais riscos que enfrentam durante a migração para a nuvem. 

De acordo com um relatório do Velostrata and Dimensional Research, 62% dos líderes de TI relataram que os seus projetos de migração para a nuvem foram mais difíceis do que o previsto inicialmente. Além disso, 64% dos projetos de migração demoraram mais do que o previsto e 55% ultrapassaram os orçamentos.

Transferir dados para a nuvem traz muitos riscos de segurança, como ameaças internas, erros acidentais, ataques externos, malware, servidores configurados incorretamente, problemas do provedor de nuvem, APIs inseguras, violações contratuais, violações de conformidade, entre outros.

Por isso, para transferir dados importantes para terceiros, as empresas devem antes identificar os problemas potenciais e fazer um planejamento completo para lidar com essas questões. Entre os pontos principais a serem analisados, é preciso se certificar de que o provedor oferece portabilidade de dados e do sistema, interoperabilidade de serviços e um sistema de gerenciamento e segurança em nuvem. 

Afinal, a infraestrutura, o gerenciamento e a automação da nuvem pública podem ser bastante diferentes do que as organizações usam em seus próprios datacenters. Quando aplicações e operações são criadas e codificadas para um provedor de nuvem específico, podem surgir desafios para migrar as cargas de trabalho para outra nuvem pública ou migrá-las de volta para a infraestrutura on-premise, gerando dependência de fornecedor.

Portanto, para atender ao ambiente corporativo, a infraestrutura que sustenta a nuvem pública deve ser de código aberto, para não ficar preso a um único fornecedor. Além disso, ela deve ser bastante sólida e confiável, e ao mesmo tempo ter a flexibilidade necessária para escalar. 

Vantagens da nuvem pública

Muitas empresas estão movendo partes de sua infraestrutura de computação para a public cloud em busca de soluções para acelerar e modernizar o seu fluxo de trabalho com serviços elásticos e prontamente escalonáveis. A nuvem pública agora é vista como a plataforma preferida para abrigar a infraestrutura da TI corporativa e modernizar aplicações. Pelo menos 50% das empresas já hospedam as suas infraestruturas e serviços de TI na nuvem pública, enquanto 27% optaram pela nuvem híbrida, segundo o relatório State of DevOps 2019.

A nuvem pública oferece o tipo de implantação mais simples e rápido. As empresas podem simplesmente selecionar o que precisam, simular os preços, ativar o serviço e começar logo a usá-lo. A infraestrutura, a capacidade de processamento, o armazenamento ou as aplicações baseadas em nuvem são virtualizados a partir do hardware do fornecedor e transmitidos ao cliente pela Internet ou usando uma conexão de rede dedicada.