Anatomia de um Bot – Parte II

anatomia-bot-parte-2

No último artigo iniciamos a análise dos “pedaços” de um bot, abordando a personalidade, inteligência artificial, conversa e interações ricas.

Agora, confira abaixo as outras partes desta anatomia.

Se você não leu a primeira parte deste artigo, clique aqui.

 

Contexto e memória

Estes são os dois aspectos mais complicados do seu bot. Os seres humanos acompanham o estado e o contexto enquanto fazem conversas. Portanto, bots necessitam inferir contexto, manter o estado de uma conversa e lembrar-se de detalhes-chave de conversas anteriores. Isto é o que diferencia as conversas humanas da maioria das conversas de bot hoje em dia.

 

Descoberta e instalação

Você precisa pensar sobre o habitat do bot, a listagem do bot em um diretório e as formas de iniciar a primeira interação do bot em plataformas ou no seu próprio chat.

 

Métodos de engajamento
  • Notificações – Enviar o novo conteúdo ao usuário é uma boa maneira de se reconciliar, assumindo que a conversa tem valor e não é spam. Em estudos realizados pelo Facebook, os principais impulsionadores para o envolvimento com bots em sua plataforma deram origem a notificações de um bot.
  • Invocação de bot conduzida pelo usuário – Fornecer aos usuários uma maneira de inicializar a conversa com o bot ou uma tarefa qualquer é importante, e também algo que muitos designers de bot esquecem de adicionar ou ensinar ao usuário.
  • Inscrição – Assinaturas ou notificações periódicas são uma ótima maneira de manter seu bot sempre na vida do usuário. Permitir que os usuários definam seus interesses adiciona uma camada de valor à interação bot-humano (por exemplo, deixando o usuário selecionar tópicos interessantes, filtrar a atualização diária de notícias de um boletim de notícias).

 

Monetização

Existem várias maneiras pelas quais um bot pode ganhar dinheiro, direta ou indiretamente.

 

Esta não é uma lista exaustiva – estes são os elementos mais comuns, mas alguns bots podem ter elementos diferentes na sua composição. Alguns bots exigirão a interface com dispositivos IoT, enquanto outros precisarão de tecnologias de text-to-speech e speech-to-text.

 

Finalidade e funcionalidade

Como um primeiro passo, você precisará definir a finalidade e a funcionalidade básica do seu bot. Ter um propósito distinto e expor uma funcionalidade central específica é importante para todos os serviços. Isso é particularmente importante com os bots, pois nem sempre é óbvio ou claro para o usuário a funcionalidade que seu bot oferece. Como o bot é mais limitado na riqueza de sua interface do que na web ou aplicativos móveis, é importante ser muito claro sobre a funcionalidade que o bot expõe e fornecer maneiras de educar os usuários sobre como invocar essa funcionalidade como parte da conversa.

Muitos bots adicionam uma descrição de sua finalidade ao inicializar uma conversa, bem como a resposta ao comando de ajuda ou sobre as funcionalidades do bot.

Atualmente, vemos muitos bots que não tem propósito real e não fornecem nenhum valor claro. Muitas vezes, ao testar bots no Slack, voltamos para os desenvolvedores com a pergunta muito básica: “Para que serve o seu bot?”
Isso também é verdade para bots de algumas marcas. As marcas precisam reconhecer que, para fornecer bots que promovam o reconhecimento da marca, esses bots precisam trazer valor aos seus usuários.

Lembre-se, os bots são tão bons quanto os serviços que eles expõem. Um propósito não claro e a falta de utilidade são as razões número um para o abandono do bot e a falta de uso.

Cada um desses aspectos e atributos comentados nesse texto, pode ser explorado como uma matéria a parte que poderia gerar um artigo para explicar várias técnicas de como retirar essas informações e dados para a criação do bot, porém, aqui já temos uma boa visão da anatomia de um bot, sendo essencial para entender quais são os passos para implementar um bot que realmente traga valor ao cliente final.

Na Certsys, aplicamos várias técnicas para retirar esses dados na hora da criação de algum bot para nossos clientes. Para saber mais, acompanhe nosso blog.

Posts Relacionados

Comentários