IBM Cloud: Desafios para implantação da arquitetura na nuvem

capa-artigos-modelo_3 (1)

Cada vez mais, as empresas precisam modernizar as plataformas de infraestrutura legadas para que possam ter mais agilidade, flexibilidade e velocidade. Por isso, elas tendem a migrar as suas cargas operacionais para a public cloud, um sistema que oferece melhor desempenho e mais recursos, por custos menores. 

Para acelerar a Transformação Digital, escalar os seus investimentos em nuvem e gerenciar projetos com segurança, as empresas necessitam de modelos com padrões abertos, que permitam tirar proveito dos seus dados, processos e aplicações de negócios. Além disso, uma plataforma de nuvem deve oferecer transparência e facilidade de gerenciamento, para que as empresas possam se tornar mais competitivas e adotar todo o potencial que a tecnologia oferece. 

Porém, a adoção da nuvem pública traz alguns desafios, especialmente para organizações de TI, pois requer investimentos em tecnologias, processos e conjuntos de habilidades. Em um cenário de necessidades complexas de segurança, carga de trabalho e hospedagem de dados, os líderes empresariais precisam achar uma estratégia que atenda às necessidades das suas empresas.

Neste artigo, vamos explicar quais são os principais desafios para implementar a nuvem pública e apontar caminhos para superá-los.

Como modernizar a sua infraestrutura

Antes de utilizar a tecnologia de computação em nuvem para um negócio, os empreendedores devem considerar diversos fatores. Muitas organizações acreditam que a natureza complexa de sua arquitetura de TI atual é um dos principais riscos que enfrentam durante a migração para a nuvem. 

De acordo com um relatório do Velostrata and Dimensional Research, 62% dos líderes de TI relataram que os seus projetos de migração para a nuvem foram mais difíceis do que o previsto inicialmente. Além disso, 64% dos projetos de migração demoraram mais do que o previsto e 55% ultrapassaram os orçamentos.

Transferir dados para a nuvem traz muitos riscos de segurança, como ameaças internas, erros acidentais, ataques externos, malware, servidores configurados incorretamente, problemas do provedor de nuvem, APIs inseguras, violações contratuais, violações de conformidade, entre outros.

Por isso, para transferir dados importantes para terceiros, as empresas devem antes identificar os problemas potenciais e fazer um planejamento completo para lidar com essas questões. Entre os pontos principais a serem analisados, é preciso se certificar de que o provedor oferece portabilidade de dados e do sistema, interoperabilidade de serviços e um sistema de gerenciamento e segurança em nuvem. 

Afinal, a infraestrutura, o gerenciamento e a automação da nuvem pública podem ser bastante diferentes do que as organizações usam em seus próprios datacenters. Quando aplicações e operações são criadas e codificadas para um provedor de nuvem específico, podem surgir desafios para migrar as cargas de trabalho para outra nuvem pública ou migrá-las de volta para a infraestrutura on-premise, gerando dependência de fornecedor.

Portanto, para atender ao ambiente corporativo, a infraestrutura que sustenta a nuvem pública deve ser de código aberto, para não ficar preso a um único fornecedor. Além disso, ela deve ser bastante sólida e confiável, e ao mesmo tempo ter a flexibilidade necessária para escalar. 

Vantagens da nuvem pública

Muitas empresas estão movendo partes de sua infraestrutura de computação para a public cloud em busca de soluções para acelerar e modernizar o seu fluxo de trabalho com serviços elásticos e prontamente escalonáveis. A nuvem pública agora é vista como a plataforma preferida para abrigar a infraestrutura da TI corporativa e modernizar aplicações. Pelo menos 50% das empresas já hospedam as suas infraestruturas e serviços de TI na nuvem pública, enquanto 27% optaram pela nuvem híbrida, segundo o relatório State of DevOps 2019.

A nuvem pública oferece o tipo de implantação mais simples e rápido. As empresas podem simplesmente selecionar o que precisam, simular os preços, ativar o serviço e começar logo a usá-lo. A infraestrutura, a capacidade de processamento, o armazenamento ou as aplicações baseadas em nuvem são virtualizados a partir do hardware do fornecedor e transmitidos ao cliente pela Internet ou usando uma conexão de rede dedicada. 

Os servidores na nuvem pública podem ser usados para armazenamento, hosting, backup, processamento, desenvolvimento, entre outras funções. Eles fornecem conectividade de rede de alta largura de banda para garantir acesso rápido a aplicativos e dados e gerenciam o software de virtualização subjacente. 

Com esses recursos, o cliente não necessita comprar equipamentos. Quando ele precisa de mais recursos, plataformas ou serviços, pode simplesmente pagar ao provedor da nuvem pública por hora ou por byte para ter acesso à quantidade necessária e no momento certo. Além disso, a arquitetura da nuvem aceita qualquer carga de trabalho e possibilita incluir novos serviços.

Os serviços de nuvem pública podem ser fornecidos sem custo inicial, como uma assinatura ou um modelo de pagamento conforme o uso. Nesse modelo, as empresas podem usar diferentes produtos e serviços em cloud de maneira flexível, de acordo com as suas necessidades, pagando somente pelo que usar. Desse modo, as organizações podem aproveitar enormes economias de escala, que se convertem em despesas mais baixas. 

Entre os principais benefícios oferecidos pela nuvem pública, podemos citar:

  • Necessidade reduzida de investir e manter os seus próprios recursos de TI;
  • Redução de gastos com hardware e infraestrutura locais; 
  • Possibilidade de expandir a estrutura de acordo com a necessidade, sem ter de superdimensionar equipamentos para evitar que fiquem defasados rapidamente e sem esbarrar em trâmites burocráticos.
  • Escalabilidade para atender às demandas da carga de trabalho; 
  • Menos recursos desperdiçados, pois os clientes pagam apenas pelo que usam.

Aplicações modernas e com mais mobilidade 

As novas aplicações nativas da nuvem usam contêineres que podem ser hospedados tanto na nuvem pública quanto na privada. Isso permite que as empresas executem aplicações na plataforma certa e aproveitem os recursos disponíveis. A implantação dessas aplicações usa o Kubernetes para ajudar a gerenciar a complexidade da nuvem e minimizar os custos. Desse modo, as empresas ganham flexibilidade do ambiente operacional em comum de código aberto e independente da infraestrutura, que roda em qualquer lugar.

As aplicações nativas da nuvem também possibilitam remover os silos de dados para que os dados e aplicações principais dos negócios possam gerar novos insights e impulsionar um novo desenvolvimento para as empresas. Elas permitem localizar aplicações próximas aos dados para favorecer um processamento de dados corporativos ou gerados por dispositivos da Internet das Coisas (IoT). 

Benefícios de um ambiente híbrido e multicloud

Geralmente, as nuvens públicas não são implantadas como uma solução de infraestrutura autônoma, mas fazem parte de uma mistura heterogênea de ambientes. Isso resulta em mais segurança e desempenho, custos reduzidos e maior disponibilidade de infraestruturas, serviços e aplicações.

Transferir toda a infraestrutura e as aplicações de uma empresa para um único provedor é pouco recomendável, devido a fatores como segurança, eficiência e economia. De acordo com levantamento da McKinsey & Company, 94% das empresas pesquisadas contam com múltiplos fornecedores de nuvem para alcançar os seus objetivos de negócios.

Portanto, ao escolher estratégias de proteção e segurança de dados, as empresas devem optar por soluções que possam ser ampliadas em infraestruturas de TI distintas. Desse modo, será possível proteger os ambientes físicos, virtuais e em nuvem de ataques externos mal-intencionados, fraudes, acessos não autorizados e violações internas.

De fato, a maioria das empresas que adotam serviços de nuvem pública usa vários provedores. Essa abordagem é conhecida como computação em nuvem múltipla ou multicloud, que é um subconjunto do termo mais amplo computação em nuvem híbrida. De acordo com o IDC, mais de 90% das grandes empresas agora têm uma solução híbrida de nuvem múltipla em vigor que inclui uma combinação de ambientes de nuvem pública, privada e local. Além disso, 81% das organizações já têm mais de um provedor de nuvem pública, segundo o Gartner.

As soluções de gerenciamento de multicloud permitem que as empresas combinem nuvens variadas para tirar proveito de características diferentes com flexibilidade e agilidade. Elas oferecem visibilidade completa e controle na combinação preferida de uma empresa de fornecedores e modelos de nuvem, sem sacrificar a segurança rigorosa.

Nuvem híbrida com a tecnologia certa

Para ser um agente de mudança na sua organização, você precisa ter a tecnologia certa para servir de suporte a todas as suas ações. Por isso, reunimos uma lista de tecnologias de nuvem híbrida que valem a pena ser analisadas ao iniciar ou dar sequência à sua jornada. Durante o planejamento do seu ambiente, confira o que será necessário.

1. Software de código aberto para não ficar preso a um único fornecedor e permitir a inovação. 

Tecnologia recomendada: Linux. O Linux foi portado para diversas arquiteturas e sistemas, de dispositivos de IoT incorporados a supercomputadores.

2. Software leve de virtualização e orquestração para empacotar aplicações com as dependências de software deles e acelerar o desenvolvimento e a implantação. 

Tecnologia recomendada: Contêineres e Kubernetes.

3. Ambiente operacional em comum, independente da infraestrutura, para permitir a portabilidade de aplicações em ambientes de nuvem híbrida. 

Tecnologia recomendada: Red Hat OpenShift Container Platform

4. Integração de software de banco de dados e middleware para ajudar a migrar e integrar com segurança as principais aplicações de negócios na nuvem híbrida. 

Tecnologia recomendada: IBM Cloud Paks.

Vantagens da nuvem pública e híbrida IBM

A IBM Cloud é uma plataforma que engloba diferentes serviços de Cloud para a criação de soluções para empresas que buscam acelerar e modernizar o seu fluxo de trabalho. Ela disponibiliza mais de 170 produtos e serviços que abrangem recursos de dados, contêineres, IA, IoT e blockchain.

A IBM Cloud é a nuvem pública mais segura e aberta do mercado. A plataforma conta com recursos como isolamento de carga de trabalho integrado e segmentação de rede, segurança de container contínua e criptografia de dados ponta a ponta. Desse modo, ela garante a proteção dos dados armazenados, tanto em processamento quanto em movimento. 

Além disso, os serviços IBM para nuvem usam a portabilidade de contêineres como Kubernetes em escala, ajudando você a modernizar aplicativos de missão crítica e infraestrutura mais rapidamente. 

A plataforma de gerenciamento integrado da IBM ajuda ainda a simplificar sua arquitetura multicloud com total visibilidade, governança e conformidade em ambientes de nuvem. O seu ambiente híbrido de várias nuvens com portabilidade de contêineres ajuda você a modernizar aplicativos de missão crítica com menos esforço, tempo de desenvolvimento e despesas. Esses recursos ajudam a otimizar os processos das empresas, reduzindo o tempo gasto e as despesas operacionais de TI.

A Certsys investe fortemente em conjunto com as soluções de inteligência da IBM para Cloud Computing. Saiba mais sobre como a Certsys e a IBM podem ajudar as empresas a obter vantagens competitivas com o desenvolvimento em nuvem, fornecendo toda a tecnologia necessária, com o melhor desempenho e flexibilidade.

Saiba mais sobre como a Certsys e a IBM podem auxiliar as empresas a obter vantagens competitivas com o desenvolvimento em nuvem, fornecendo toda a tecnologia necessária, com o melhor desempenho e flexibilidade. 

Acesse aqui.

Posts Relacionados

Comentários