Principais desafios da área de TI em segurança

artigo-security-principais-desafios

A Tecnologia da Informação está em constante mudança, que a cada dia acontece mais rápida, trazendo muitos recursos que facilitam a tomada de decisão nos negócios, agilizam produção e trazem muitos outros benefícios. Porém, o cibercrime acompanha estas tecnologias e também se aprimora. Logo, as soluções e medidas preventivas das empresas não podem ficar obsoletas e ultrapassadas.

Ferramentas de poucos anos atrás já não são mais adequadas às ameaças atuais, que evoluem com enorme rapidez, ao mesmo que atacam em silêncio. Vulnerabilidades críticas como Meltdown e Spectre, apesar de serem de difícil exploração, demonstram o quão amplo um ataque pode ser.

Por isso, é preciso apostar em soluções de inteligência em segurança que saibam encarar e agir com as informações recebidas, reunindo-as e analisando para encontrar as melhores medidas a se seguir.

No caso da cibersegurança, determinando quem está fazendo o quê, com quem, e quais recursos estão sendo utilizados no processo. Descobrindo, assim, os potenciais riscos e ameaças que residem nos processos da sua companhia. E tudo feito com rapidez, afinal de contas, estamos na era dos dados móveis e IoT.

 

Os principais desafios

Além dos riscos esperados considerando possíveis falhas de software e brechas de segurança, há também aqueles que muitas vezes passam despercebidos – o comportamento de funcionários dentro da empresa e em relação aos dados. É onde entra o caso do BYOD (Bring Your Own Device), por exemplo, e mesmo o conhecimento e instrução que estes funcionários tem com as informações da empresa.

Os hábitos dos usuários fazem parte da cibersegurança e, na verdade, são uns dos fatores de maior importância, pois podem abrir brechas para riscos desnecessários que são facilmente evitados com o treinamento adequado e adoção de políticas de segurança internas e no manuseio de dados da companhia. (saiba sobre o vazamento de dados em empresas)

Por mais que se invista em soluções de segurança atuais, não educar os funcionários em relação à cibersegurança é permanecer com o risco de phishings e ransomwares por simplesmente não prestar maior atenção a como se comportar perante tentativas de exploração da maior vulnerabilidade existente, o ser humano.

Ainda, com tamanho fluxo de dados, a todo o momento, suas soluções precisam ser bem preparadas para acessar todos eles e os analisar buscando encontrar as possíveis brechas para ataques que podem causar estragos em minutos. Os ataques atuais são rápidos, silenciosos e bem preparados. Em grande maioria, são mais sofisticados do que o sistema de segurança das companhias.

Ferramentas como IBM® QRadar®, por exemplo, utilizam de analytics, ou seja, a análise dos dados que fazem parte dos processos, com rapidez e integração para identificar uma possível ameaça ou um ataque a tempo de impedir seu prosseguimento. Esse é apenas um exemplo das soluções atuais que gerenciam riscos e vulnerabilidade, detectam ameaças, comportam análise em tempo real de dados, dentre outras funcionalidades.

Com o impacto da IoT, grande volume de dados em trânsito, hábitos inadequados para as novas tecnologias e a evolução constante dos hackers, é preciso aprender a aplicar as medidas e táticas da inteligência de negócios na área de segurança, lembrando que em ambos cenários a moeda mais valiosa é a informação. Tanto para realização quanto para proteção.

Por isso, é importante avaliar com cautela as soluções e políticas de segurança adotadas pela sua empresa, para garantir que a informação esteja devidamente protegidas.

Saiba mais sobre segurança da informação:

Os avanços em segurança cibernética e privacidade de dados
Os aspetos legais da cibersegurança e ciberdefesa
O que é uma plataforma de gerenciamento e segurança de endpoints

Posts Relacionados

Comentários