Segurança Cognitiva e os desafios do CISO

CISO-artigo

Chefes de segurança da informação utilizam as soluções cognitivas para enfrentar desafios da era digital

Os chefes de segurança da informação iniciaram o processo da utilização de medidas cognitivas para resolver gaps e aumentar a segurança nas organizações. Em estudo realizado pela IBM, 57% desses líderes acreditam que essas soluções podem diminuir os esforços dos cibercriminosos, e 22% já começaram a utilizar os recursos da segurança cognitiva para evitar riscos e crimes.

Foram entrevistados 700 CISOs (Chief Information Security Officers) e outros chefes de segurança de 35 países, que representam 18 indústrias. Os principais desafios citados são a complexidade das ameaças e a rapidez da capacidade de resposta a elas, a forma que os incidentes de segurança afetam suas operações comerciais e como eles definem a sua reputação no mercado.

A ineficácia existente no gerenciamento de redes e proteção de dados determinou a procura por recursos mais adequados para enfrentar essas questões e justificar seus investimentos para os líderes dos negócios.

 

Os principais gaps citados – os desafios de segurança nas empresas

Os desafios, fraquezas e esforços apontam para três gaps principais em inteligência, velocidade e precisão.

 

Gaps de velocidade

O principal desafio na segurança hoje é reduzir os tempos médios de resposta e solução de incidentes, citado por quarenta e cinco por cento dos entrevistados. Quanto mais tempo uma empresa demora para resolver um incidente, maiores são os danos e o prejuízo financeiro para lidar com essas crises.

 

Gaps de inteligência

O segundo desafio para as organizações é melhorar a pesquisa e a análise das ameaças de segurança, atualizando-se sobre novos riscos e vulnerabilidades.

Os analistas precisam de ajuda para reunir conhecimento, determinar quais as principais ameaças e buscar padrões e divergências de forma rápida, com o objetivo de melhorar a velocidade e gerenciar a complexidade das ameaças de segurança que enfrentam.

 

Gaps de precisão

Identificação e análise de ameaças e incidentes potenciais de forma precisa é outro desafio a ser vencido no gerenciamento da segurança.

 

As soluções cognitivas de segurança

As tecnologias de segurança evoluíram e se deslocaram de desfesas estáticas para recursos de inteligência avançados. A era cognitiva traz soluções em tempo real e que podem compreender contextos, comportamentos e significados por meio de análise de dados.

À medida que esses dados são acumulados, o sistema aprende de forma contínua e realiza a interpretação e a organização das informações, oferecendo alternativas precisas para as tomadas de decisões.

O conjunto das soluções cognitivas permite:

  • Aumentar a capacidade dos analistas de segurança da informação juniores, dando-lhes acesso às práticas que costumavam exigir anos de experiência;
  • Melhorar a velocidade de resposta e resoluções de incidentes;
  • Detectar rapidamente ameaças, comportamentos de risco e infecções de malware utilizando métodos avançados de pesquisa e análise de dados;
  • Obter melhor visão sobre os incidentes de segurança por meio da automação da coleta de dados internos e externos.

Conforme as medidas de segurança cognitiva são implementadas e difundidas, mais organizações podem usufruir de seus benefícios. O primeiro passo é identificar as fraquezas a serem tratadas e em seguida aprender sobre as possíveis soluções e casos de uso, combinando-os com os desafios a serem enfrentados pela sua empresa.

Esclarecer os benefícios a todos os envolvidos no processo e enfatizar que essas soluções podem melhorar toda a postura de segurança da organização começará o processo de entrada na era cognitiva.

Posts Relacionados

Comentários