Orquestração e sua relação com a Automação de TI

A unificação das ações de configuração, gerenciamento e coordenação de automações, compõem o que chamamos de orquestração, que visa harmonizar componentes variáveis e combinar múltiplos processos. Na TI, essa abordagem ganha ainda mais importância e urgência, por ajudar a administrar as automações dessa área.

Qual a importância da orquestração no plano de automação de TI?

A orquestração é um modelo de gerenciamento que alinha automações de TI e facilita o acompanhamento de suas performances, minimizando a complexidade operacional, evitando erros humanos e custos elevados com a manutenção de recursos.

Na automação, a substituição da interação humana por sistemas autônomos opera aumentando o índice de assertividade e qualidade das tarefas individuais. Enquanto na orquestração, podemos automatizar maiores fluxos de trabalho e processos complexos.

Através da orquestração de automações, a equipe de TI pode automatizar tarefas manuais, seguindo um plano de administração eficiente, podendo gerenciar com escalabilidade o provisionamento de servidores, a gestão de aplicações e o controle de incidentes.

Como a orquestração da automação de TI acontece?

Seja na nuvem ou localmente, a orquestração dos processos de TI automatizados, acaba programando as aplicações para atuarem na ordem certa e com padrões de fácil continuidade. A orquestração possui visibilidade de toda e qualquer automação, e isso capacita sua instalação para agir em interfaces distintas e em vários projetos de virtualização.

Depois de planejar e estruturar um modelo de governança, as demandas periódicas de TI ganham uma produção condicionada ao seguimento de regras. Coordenar máquinas virtuais, monitorar armazenamentos e gerir redes são algumas obrigações que, quando automatizadas, oferecem uma conformidade operacional contínua e aperfeiçoada.

Até mesmo os serviços gerenciados, munidos de automações nativas de containers, kubernetes, cloud ou de ambiente local, são prontamente orquestrados em aderência facilitada. A orquestração define uma infraestrutura ativa ou de prontidão, usada periodicamente ou só quando necessária. Porque sua funcionalidade é vasta, flexível e amplamente adaptável.

Os benefícios imediatos da orquestração de automações de TI

A qualidade do conjunto de automações depende de como essas soluções são governadas, por isso a orquestração é tão importante. Ela é responsável por determinar condições necessárias para o cumprimento de funcionalidades essenciais, com maior produtividade e confiabilidade.

Critérios como controle de custos, eficiência operacional, gestão de riscos e execução de políticas de segurança, são devidamente adestrados, com a presença da orquestração direcionada aos pontos cruciais de um negócio.

A cultura de DevOps e Agile, empregada pelos instrumentos de automação e orquestração, integra corretamente os recursos de fornecimento e operação de serviços. Essa fluência entre tecnologias e compliance, agrega ainda mais valor ao operacional.

A orquestração aprimora a automação e evolui o negócio

Governar automações de TI com diretrizes antigas, é privar negócios e clientes de soluções inovadoras. Só a orquestração explora a automação e extrai dela habilidades superiores. Levando operação, TI e organização para um estágio de alta excelência.

Tornar a automação um recurso propagador de produção, segurança e escalabilidade, é realidade possível quando inserimos orquestração em nossa estratégia de governança e transformação digital. Nesse necessário fica fácil modernizar negócios e distribuir melhores condições de serviços ou consumo.

Containers e Cloud Paks: facilitando o processo de adoção de nuvem

Moldar um operacional sem ampla flexibilidade e conectividade, é inviável para qualquer negócio que busca crescimento proporcional ao seu objetivo e expectativa. Recursos de containers, como base principal dos IBM Cloud Paks, agregam ainda mais agilidade e mobilidade para a conexão das soluções.

É necessário proporcionar alta capacidade de adaptação e integração

Para adquirir mais portabilidade, rapidez e segurança, o conjunto de IBM Cloud Paks baseia sua solução em uma unidade de containers. Com o auxílio dessa tecnologia, fica fácil virtualizar sistemas operacionais e isolar processos para controlar melhor a usabilidade de espaço, cloud e memória.

Por serem compactos, ágeis, leves e portáteis, os containers são facilmente integrados aos Cloud Paks e lidam muito bem com multiplataformas.

Diferente de uma máquina virtual tradicional (MV), os containers fornecem um nível de virtualização superior, servindo de espaço para compartilhamento de sistema operacional, biblioteca de dados e aplicativos. É notório como a promoção de portabilidade dos containers, geram ainda mais facilitadores ao processo de adoção de nuvem nos IBM Cloud Paks.

Autonomia com integração sem fragilizar a segurança

As soluções de Cloud Paks são desenvolvidas em arquitetura moderna, a qual é majoritariamente virtualizada e facilmente integrada, sem perder autonomia e sendo absoluta em sua adaptação. Nesse fluxo, os containers ajudam com padrões de suporte para desenvolver aplicativos, executar soluções e regular as implantações de incrementos.

Utilizando containers é possível modernizar e migrar aplicativos para nuvem, sem tempo de inatividade e otimizando o processo de transformação digital dos serviços.

Todos os protocolos de gerenciamento multicloud, desenvolvimento de aplicativos nativos em nuvem e integração com automações facilitando a coleta de dados, são benefícios recorrentes do uso de containers nas aplicações dos IBM Cloud Paks.