Desafios para a modernização de aplicações

Para modernizar as suas aplicações, as empresas precisam migrar aplicações legadas para sistemas atuais de nuvem, com plataformas de containers e microsserviços. Afinal, tecnologias ultrapassadas geram baixa produtividade, indisponibilidade de serviços, experiências de usuários ruins, altos custos de manutenção e consequentes limitações para os ganhos. 

A capacidade de adotar novas capacidades e fluxos de trabalho é fundamental para que as empresas possam se adequar às demandas do mercado e otimizar o desempenho dos seus negócios. Porém, para modernizar suas aplicações, elas precisam enfrentar muitos desafios, como migrar para a nuvem, mover os seus dados ou as suas cargas de trabalho, gerenciar múltiplos fornecedores de nuvem e lidar com custos altos de investimento e manutenção.

Neste artigo, vamos explicar quais são os maiores desafios enfrentados pelas empresas para modernizar as suas aplicações e trazer dicas para ajudá-las a superá-los.

Por que é importante modernizar as aplicações?

As demandas por eficiência, agilidade e inovação exigem que as organizações modernizem ambientes, reduzam a complexidade e adotem soluções das plataformas de nuvem híbrida, utilizando microsserviços, containers, DevOps, Internet das Coisas, entre outras tecnologias.

Porém, as empresas ainda enfrentam muitos desafios para migrar o seu conjunto de cargas de trabalho e aplicações para a nuvem. A seguir, vamos mostrar alguns dos principais desafios que as empresas enfrentam atualmente e apontar caminhos para superá-los.

1. Migração para a nuvem

A migração para a nuvem é parte integrante das as estratégias de transformação digital e de negócios. A nuvem permite que as empresas inovem mais rapidamente, controlem custos, façam melhor uso de seus dados e ofereçam melhores experiências aos clientes.

Porém, o maior desafio enfrentado pela maioria das organizações é gerenciar a complexidade desses processos.  Afinal, a adoção da nuvem envolve questões de segurança, resiliência e riscos de interrupções e tempos de inatividade. Além disso, muitas empresas têm informações confidenciais, que elas preferem não colocar em nuvens públicas.

Por isso, a maioria das empresas ainda não consegue aproveitar todos os potenciais oferecidos pela nuvem.

Mas, com as soluções das plataformas de containers e DevOps, é possível migrar e transformar aplicações legadas para os novos sistemas de nuvem, favorecendo assim a migração e a modernização das aplicações.

2. Fazer a integração dos dados e da carga de trabalho

Devido a obstáculos como segurança, conformidade e localização, muitas empresas têm dificuldade para mover os seus dados ou as suas cargas de trabalho para a nuvem pública. Pesquisa feita pela IBM mostra que apenas cerca de 33% das cargas de trabalho foram migradas para a nuvem até o momento.

Mas, com a integração e disponibilização de serviços de negócio e APIs adequados, é possível suportar cargas de trabalho e dados empresariais e, ao mesmo tempo, impulsionar a inovação.

Por exemplo, uma empresa pode manter as informações de seus clientes mais confidenciais nas suas próprias instalações, os seus dados de marketing em um fornecedor de nuvem pública e uma aplicação nativa sensível numa nuvem privada, com segurança e integração.

3. Múltiplas nuvens e fornecedores

Transferir toda a infraestrutura e as aplicações de uma empresa para um único provedor é pouco recomendável, devido a fatores como segurança, eficiência e economia. De acordo com o estudo da McKinsey & Company, 94% das empresas pesquisadas contam com múltiplos fornecedores de nuvem para alcançar os seus objetivos de negócios.

As soluções de gerenciamento de multicloud permitem que as empresas combinem nuvens variadas para tirar proveito de características diferentes com flexibilidade e agilidade. Elas oferecem visibilidade completa e controle na combinação preferida de uma empresa de fornecedores e modelos de nuvem, sem sacrificar a segurança rigorosa.

4. Inovar as metodologias de desenvolvimento de apps

Modernizar aplicativos envolve desafios como custos, infraestrutura, qualificação de mão de obra e atualização dos sistemas operacionais. Além disso, a modernização dos processos de desenvolvimento de Apps precisa preparar aplicações para lidar com uma série de mudanças, normas, políticas e culturas.

Para superar essas dificuldades, é preciso criar soluções com execuções ágeis, direto da nuvem, e viabilizar conexões com mais extensão, qualidade e disponibilidade.

5. Lidar com custos altos de manutenção

Sistemas legados ou adquiridos no modelo on premises demandam um investimento alto e necessitam de despesas consideráveis com manutenção e atualização ao longo do tempo.

Diante dos custos elevados com a manutenção das infraestruturas privadas, as empresas devem considerar dividir boa parte de seu workload com a nuvem pública. O provedor dos serviços se responsabiliza por disponibilizar novas funcionalidades e por manter o ambiente atualizado e seguro.

Além de oferecer redução de custos, essa modalidade permite mais agilidade na entrega de demandas e facilita a implementação de novas tecnologias.

Modernize as suas aplicações legadas

O programa desenvolvido em conjunto pela Certsys e IBM contempla uma jornada completa de modernização, transformação e migração de aplicações legadas, desde a avaliação até a manutenção.

O IBM Cloud Pak for Applications modela as aplicações em processos de desenvolvimento de alta velocidade e hiperescala. Com automações aprimoradas, é possível melhorar o ciclo de vida do aplicativo e adicionar inteligência artificial para elevar as competências técnicas da solução. Nesse seguimento, obtemos mais que agilidade, conquistamos mais confiabilidade operacional e adquirimos aplicações de alta performance.

Com o IBM Cloud Pak for Applications, a segurança ganha novos padrões de detecção e prevenção contra falhas ou riscos. O objetivo aqui não é apenas corrigir ameaças ou erros, mas automatizar tarefas de monitoria e inspeção, por exemplo, e acompanhar de perto o processo de cada fase ou setor, evitando qualquer tipo de prejuízo ao negócio.

Integração de dados para melhor experiência dos clientes

A integração de dados é fundamental para impulsionar a transformação digital e contribuir para a melhoria da experiência digital dos clientes. Ela permite simplificar as suas rotinas operacionais, facilitar a execução das tarefas e acessar a informação a partir de múltiplas fontes.

Além disso, ao manter todos os dados importantes integrados, o seu negócio economiza tempo e esforços na busca por eles. Você pode encontrar todas as informações coletadas e armazenadas nos últimos anos em um só lugar, mesmo utilizando softwares diferentes, auxiliando, inclusive, na experiência também de seus colaboradores.

Como funciona a integração de dados

Sistemas de integração de dados oferecem uma experiência de integração segura, flexível e personalizada às empresas, com menor custo e maior eficiência. A integração combina informações de fontes diversas para possibilitar uma visão mais ampla dos processos e aumentar o desempenho do negócio. O objetivo é facilitar o desenvolvimento de novas aplicações, favorecer a otimização dos processos e aumentar a robustez e escalabilidade dos recursos tecnológicos.

Estes sistemas ajudam a sincronizar objetos específicos, implementando o compartilhamento de informações em tempo real e de maneira mais fácil. Os recursos permitem a compatibilidade dos dados disponíveis em seus softwares, oferecendo as ferramentas necessárias para gerenciar todas as informações em um só lugar.

Portanto, essa tecnologia permite uma maior flexibilidade nos processos, mesmo entre ambientes remotos e com baixa capilaridade de recursos tecnológicos. Ela também favorece o aumento da eficiência operacional, a melhoria da qualidade dos serviços e a redução de custos. Desse modo, os colaboradores podem economizar esforços e se dedicar à otimização de outros pontos do negócio, concentrando-se nas atividades de maior valor agregado.

A conversão de dados diferenciados

Muitas vezes, os dados têm atributos diferenciados, estruturas e metadados que não são compatíveis entre si. A implantação de uma estrutura de integração permite converter formatos proprietários em padrões abertos, favorecendo assim a interoperabilidade. Desse modo, os dados ficam acessíveis mesmo para quem não tem o software original, mas precisa ter acesso a seu conteúdo.

A adoção da plataforma como uma solução de barramento corporativo (BI, ERP, Analytics, Big Data) fornece uma melhor experiência digital para todos os envolvidos. A integração de dados incompatíveis adiciona qualidade ao processo de análise e aumenta a especificidade de um conjunto deles.

Ao compatibilizar outros categorias de informação a formatos aceitos por softwares específicos, a integração de dados possibilita utilizar os dados de sua empresa em aplicações de terceiros. Desse modo, ela pode se conectar com os sistemas de seus parceiros, e qualquer mudança pode ser implementada automaticamente em todos os sistemas.

Os benefícios da integração de dados

A integração e interoperabilidade de dados podem trazer os seguintes benefícios:

  •  Agilidade e automação das integrações, criando um fluxo de dados automatizado entre as empresas e os seus diversos públicos.
  • Otimização de custos operacionais, como parte de um processo automatizado de desenho e implementação de integrações.
  • Respostas mais ágeis dos clientes às suas demandas por informação.
  • Interface inteligente, padronizando e mapeando dados para automação de processos.
  • Aumento de eficiência, eliminando a necessidade de construir integrações a partir do zero.
  • A conexão entre ambientes híbridos oferece maior flexibilidade e escalabilidade, permitindo reagir com mais rapidez às mudanças nas necessidades de negócios.

Melhorando a experiência dos seus clientes

A integração de dados contribui para viabilizar a interoperabilidade de dados e garantir maior agilidade e automatização da comunicação entre as empresas. Desse modo, é possível transformar a comunicação com os seus clientes e parceiros, oferecendo uma experiência de integração segura, flexível e personalizada. Por exemplo, um grupo especializado em medicina diagnóstica investiu numa solução de integração de dados como parte de sua estratégia de transformação digital.

A implantação permitiu alavancar a interoperabilidade de dados, garantindo agilidade e automatização da comunicação entre o grupo e os seus parceiros, como laboratórios conveniados, hospitais e empresas de TI. Como resultado, foi possível alcançar avanços significativos, trazendo resultados positivos para a experiência dos clientes.

Na área de saúde, a interoperabilidade possibilita resultados de diagnósticos mais rápidos e precisos, que são disponibilizados online para milhões de pacientes em todo o Brasil. Outra vantagem é a redução de custos, pois a  integração de dados favorece melhorias operacionais, aumento da eficiência operacional e melhoria da qualidade na entrega dos resultados dos exames laboratoriais. Com essa tecnologia, foi possível otimizar e automatizar diversas tarefas que eram antes feitas manualmente, reduzindo o custo das operações.

Para o grupo, conectar-se de forma ágil e eficaz com os diversos sistemas laboratoriais e hospitalares dos seus clientes Lab-to-Lab (quando o grande laboratório processa os resultados para laboratórios menores) era um desafio, pois o setor ainda não possui padrões de protocolos que possibilitem uma conexão mais fluída. Neste contexto, a solução de integração de dados foi escolhida porque possibilita a adoção da plataforma como uma solução de barramento corporativo da empresa.

Antes da solução, as disfunções na cadeia clínica e assistencial resultavam em atrasos e lentidão no processo de interfaceamento, além de alto custo operacional. A integração de dados possibilitou autonomia, flexibilidade e agilidade na automação de processos, além de possibilitar o desenvolvimento de interfaces e integrações para atender a necessidades específicas do negócio.

 Veja como fazer a integração de dados em sua empresa

Para fazer a implantação da integração de dados em sua empresa, é recomendável contar com uma consultoria qualificada, com perícia para ajudá-lo a atingir os seus objetivos. A Certsys oferece as ferramentas e o conhecimento que as empresas precisam para conectar aplicativos em cloud e on premise, criando microsserviços e também expondo e gerenciando APIs, através de ferramentas do IBM Cloud Pak for Integrations. Desse modo, é possível alcançar novos mercados, aproveitar rapidamente as novas oportunidades de negócios e melhorar as comunicações, tanto internamente como com parceiros.

Saiba mais sobre os Cloud Paks

[/vc_column_text][vc_btn title=”Saiba mais sobre os Cloud Paks” color=”blue” align=”center” link=”url:https%3A%2F%2Fwww.certsys.com.br%2Fcloudpaks”][/vc_column][/vc_row]

API Lifecycle Management – As diversas fases do ciclo de vida de uma API

A abordagem do API lifecycle management fornece uma visão holística sobre como gerenciar os diferentes estágios de desenvolvimento de uma API, ao longo de todo o ciclo de vida.

Conforme mostrado na Figura 1 abaixo, a API tem um ciclo de vida duplo. O ciclo da esquerda abrange as atividades do produtor, enquanto o da direita envolve as atividades do consumidor.

As fases de Gerenciamento

1. Fase de Estratégia

Nesta fase, você terá que definir as metas que deseja alcançar com suas APIs. Ela também especifica quais mercados que você precisa abordar, quais recursos você tem à sua disposição, o prazo que você tem para atingir os seus objetivos, e assim por diante. Essa é uma etapa crucial, que poderá ajudá-lo a concentrar os seus esforços onde é mais importante.

2. Fase de Design

Esta fase garante que a sua organização usará uma abordagem de primeiro contrato. Esse procedimento envolve a coleta de feedback antecipado, quebrando as dependências entre os projetos e reduzindo os riscos. Além disso, uma abordagem de primeiro contrato é conhecida por reduzir o tempo de lançamento no mercado.

Na fase de design, você projeta o contrato de sua API e o compartilha com os seus futuros consumidores. O resultado é um contrato de API que descreve as mensagens que podem ser trocadas com as suas APIs.

3. Fase de Simulação

Na simulação, você deverá criar exemplos significativos da carga útil de suas APIs e tentar alinhar as suas especificações com as expectativas de negócios. Esses exemplos são depois transformados em uma simulação ao vivo que pode ser exposta aos seus primeiros consumidores.

As expectativas de negócios dizem respeito a tudo o que não pode ser especificado usando um esquema formal. Por exemplo, ao consultar itens por status, todos os itens devolvidos devem ter o status desejado.

4. Fase de Teste

Na fase de testes de aceitação, você terá que definir os seus casos de teste, com base em exemplos, antes de implementar as suas APIs. Isso ajudará a refinar as suas expectativas de negócios, compartilhá-las entre os desenvolvedores, testadores e clientes e depois certificar-se de que as suas APIs atendem às expectativas.

5. Fase de Implementação

Na Implementação, a API real é desenvolvida usando uma estrutura de integração. Uma estrutura de integração é uma parte fundamental do ciclo de vida de suas APIs para promover a reutilização, iterações rápidas e acréscimos de valor por meio da orquestração. Ela também ajuda a modernizar as partes existentes do seu sistema de informação. As práticas atuais de desenvolvimento ágil também se aplicam aqui.

6. Fase de Implantação

Na Implantação, você deve se certificar de ter um pipeline de integração contínua / implantação contínua (CI/CD) que automatize a entrega de suas APIs ao ambiente de produção. O pipeline CI/CD reutiliza os testes que você definiu anteriormente para garantir que as APIs a serem implantadas não violem as suas especificações.

7. Fase de Segurança

A segurança é uma etapa importante no ciclo de vida da API. O teste de segurança automatizado, como análise estática ou teste de vulnerabilidade, deve fazer parte do seu pipeline. Práticas de desenvolvimento seguro, como revisões de código, também devem fazer parte de seu ciclo de vida de desenvolvimento.

8. Fase de Gerenciamento

A esta altura, as APIs precisam ser gerenciadas. O gerenciamento abrange o controle de versão, a descontinuação e a retirada. Como prática recomendada, o controle de versão deve seguir o esquema de controle de versão semântico. Isso significa que qualquer nova versão secundária de uma API substitui a versão anterior. Todos os consumidores que usavam a versão anterior poderão assim migrar para a atual, adaptando o seu código à nova versão.

Entenda como funciona o ciclo do consumidor

Após revisarmos todas as fases do gerenciamento do ciclo de vida da API feito pelo produtor, agora podemos falar sobre o ciclo do consumidor.

9. Fase de Descoberta

Quando suas APIs são implantadas na produção e estão “ativas”, você entra na fase de descoberta. Nela, você precisa ajudar os seus parceiros e terceiros a descobrir as suas APIs. O seu portal de desenvolvedor de API é o showroom para as suas APIs. Portanto, ele deverá ser usado para impressionar os seus parceiros e clientes e gerar receitas a partir de suas APIs.

10. Fase de Desenvolvimento

Os clientes começarão a descobrir as suas APIs e desenvolver aplicativos baseados nelas. A experiência do usuário dependerá da qualidade de suas APIs, mas também dos aplicativos dos clientes. Portanto, certifique-se de fornecer recursos suficientes para que os desenvolvedores aproveitem ao máximo as suas APIs. Esses recursos podem ser as melhores práticas, informações sobre como lidar com a segurança, novas tentativas em caso de erros, e assim por diante.

11. Fase de Consumo

A essa altura, os aplicativos dos clientes começarão a utilizar as suas APIs e você pode querer ter planos para corresponder ao seu consumo crescente. Para garantir uma experiência de usuário de alta qualidade, você também pode querer configurar um processo de validação de aplicativos para atingir as suas APIs de produção.

12. Fase de Monitoramento

Depois que sua primeira versão for lançada, você precisará preparar a próxima versão e a seguinte. Isso requer que você estabeleça uma espécie de ciclo de feedback para saber o que melhorar a seguir. Essa fase é chamada de Monitor.

Para obter dados precisos em seu ciclo de feedback, você terá que monitorar vários aspectos de suas APIs, passando pela integridade da API, o uso da API, e assim por diante. Testar a reação das pessoas é uma métrica útil para saber se as suas APIs são fáceis o bastante para que possam ser assimiladas rapidamente por outros desenvolvedores.

13. Fase de Monetização

Conforme as suas APIs amadurecem, o seu modelo de negócios também amadurece. Em algum ponto, você pode estar interessado monetizar com o uso de suas APIs. Esse desejo é especialmente provável se você está visando uma miríade de pequenos terceiros para se beneficiar de um efeito de cascata.

A partir dessa fase, tanto o ciclo do produtor quanto do consumidor se repete. Portanto, você deve saber quais objetivos quer alcançar para que possa se concentrar naquilo que é mais importante.

 

Como fazer o gerenciamento do ciclo de vida de APIs

Para atender às necessidades de seus clientes de API, você deve ser capaz de implementar uma solução para diversas regiões e multicloud altamente disponível para o gerenciamento de APIs.

O principal desafio para as empresas atualmente é lidar com a crescente demanda por novas APIs. Para dar conta desse volume, elas precisar ser capazes de criar APIs rapidamente e conseguir controlá-las, gerenciando um catálogo e impondo um nível de segurança poderoso.

Os recursos de gerenciamento de ciclo de vida de API permitem gerenciar as suas APIs de maneira centralizada em implementações de multicloud. Desse modo, você pode acelerar a sua jornada de API por meio de esforços de socialização e monetização.

Saiba o que é o gerenciamento de ciclo de vida de API

Os recursos de gerenciamento de ciclo de vida de API são capazes de expor, proteger, gerenciar e compartilhar APIs de maneira mais segura entre as clouds. Eles possibilitam acelerar a sua jornada de API, impulsionando a criação de aplicativos digitais e estimulando a inovação.

As APIs são um conjunto de padrões que fazem parte de uma interface e permitem a criação de plataformas de maneira mais simples e prática para os desenvolvedores.

A partir dessa interface de programação de aplicação, é possível criar softwares, aplicativos, programas e plataformas diversas com o seu navegador de internet. Ela possibilita que todos os programas ou aplicações trabalhem juntos e rodem sem problemas, trazendo uma melhor experiência para o usuário.

Por exemplo, aplicativos desenvolvidos para celulares Android e iPhone (iOS) são criados a partir de padrões definidos e disponibilizados pelas APIs desses sistemas operacionais.

Para se ter uma ideia da capacidade dos APIs criar aplicações e gerar novas receitas, a a Expedia gera 90% de sua renda por meio de APIs, enquanto a Salesforce gera 50%.

modernização dos processos de desenvolvimento de aplicativos prepara as aplicações para que possam atender aos altos padrões de produção e segurança dos aplicativos desenvolvidos com ferramentas nativas da cloud.

A mobilidade de operações fechadas para serviços abertos permite unificar o gerenciamento de sistemas para se beneficiar das vantagens da simultaneidade da computação em nuvem. Essa migração otimiza aplicativos e possibilita que desenvolvedores criem soluções com execuções ágeis, direto da nuvem, e conexões com mais extensão, qualidade e disponibilidade.

Conheça os recursos do gerenciamento de ciclo de vida de uma API

O gerenciamento de ciclo de vida de API com uma arquitetura nativa em nuvem baseada em microsserviços oferece muitos recursos:

Políticas de segurança reforçadas

Proteja, controle e faça a mediação de suas APIs por meio de uma variedade de padrões e políticas (OAuth, TLS, LDAP). Limite de taxa para proteger a interrupção de back-end. Mapeie e transforme dados rapidamente (XML para JSON).

Gerenciamento de produto de API

Promova APIs ao longo do ciclo de vida, do planejamento e do desenvolvimento até a implementação, e agrupe-as em produtos com um console de gerenciamento intuitivo.

Portal de autoatendimento

Envolva os consumidores internos e externos da API com um portal da empresa totalmente customizável e com ferramentas de socialização, como blogs e fóruns, para impulsionar a descoberta e a monetização da API.

Teste de API sem codificação

Economize tempo com testes automatizados para validar o comportamento da API por meio do editor visual. Monitore o funcionamento da API, compartilhe os resultados dos testes e seja alertado sobre problemas antes que eles afetem os clientes.

Kit de ferramentas de aceleração de API

Crie APIs independentes da linguagem de programação e suportadas pelas definições OpenAPI padrão de mercado. Use ferramentas de linha de comandos para integrar em seu pipeline de DevOps.

Ajuste de escala da cloud com alto desempenho

A arquitetura nativa em cloud baseada em microsserviços pode ajustar perfeitamente a escala para atender aos seus SLAs. Otimizado com alto desempenho para as suas cargas de trabalho de API. Execute em todos os lugares, localmente, em cloud ou em ambientes híbridos.

Como vimos, o gerenciamento do ciclo de vida das APIs pode ajudar a implementação de soluções multicloud e acelerar a sua jornada de API por esforços de socialização e monetização.

Dados integrados para gerar melhores experiências com Cloud Pak for Integration

O Cloud Pak for Integration utiliza a política de integração de recursos para melhorar a forma com a qual desenvolvemos aplicações, criamos interfaces de redes sociais e interagimos multiplataformas com total segurança.

Para essa cultura técnica acontecer com aderência e confiabilidade, recorremos aos mecanismos de API (Application Programming Interface) e dos microsserviços.

Decifrando o funcionamento do Cloud Pak for Integration

Integrar soluções e interagir recursos, essa é a base processual da plataforma Cloud Pak for Integration. Ela possibilita a união e comunicação de aplicativos e softwares de forma mais simplificada, oferecendo múltiplos conteúdos via ambiente prático, seguro, ágil e funcional. A tecnologia social, fundamentada em protocolos de interatividade protegida, é a principal função do Cloud Pak for Integration.

Fazer com que aplicações trabalhem em conjunto, sem fragilizar políticas de segurança ou atrasar o desempenho de outros sistemas é o propósito técnico do Cloud Pak for Integration.

Aplicações trabalhando de forma autônoma, mas conectada, obtendo informações uma das outras é um fluxo habitual em realidade de operações integradas deste Cloud Pak. Desta forma, uma solução pode obter dados que ela não tinha e gerar uma troca qualitativa para no fim, melhorar a experiência do negócio e agregar mais valor ao conjunto de serviços ou produtos.

Como o Cloud Pak for Integration atua

Condicionado aos seguimentos de microsserviço, o Cloud Pak for Integration atua com padrões de design independente e interativo, transformando aplicativos complexos em processos simplificados, detalhados, reutilizáveis, integrados e atemporais.

Os microsserviços podem sofrer modificações e implementações, sem afetar outros sistemas ou funções, e isso, já torna sua usabilidade ainda mais essencial para as rotinas do Cloud Pak for Integration.

Nessa solução há um compilado de microsserviços acompanhados por uma promoção de segurança continuada, gerando conformidade e compatibilidade para todos os fluxos de dados, trabalhos e sistemas.

Essa integração assegurada acelera o desempenho dos serviços, além de agilizar processos complexos e reduzir custos com manutenção de trabalhos ou dispositivos. 

O desempenho só é positivo na medida em que a flexibilidade é uma das garantias, por isso, o Cloud Pak for Integration integra recursos em abordagens flexíveis, facilitando a adaptação das ferramentas e utilizando arquitetura de containers para disponibilizar soluções em qualquer lugar.

O Red Hat OpenShift no IBM Cloud entrega uma infraestrutura de conteiners como suporte versátil para os mecanismos do Cloud Pak for Integration em clouds privadas e públicas.

O Cloud Pak for Integration trabalha com o que todo setor precisa: as APIs. Atualmente, todo departamento pede por tecnologia munida de APIs, ou seja,  meios de conectar, visualizar e controlar qualquer evento ou dispositivo em tempo real. Essa necessidade virou um critério básico para o mercado, sem isso, empresa nenhuma consegue trabalhar se desenvolver tecnologicamente de forma ágil sem integrar sistemas.

Entendendo os benefícios do Cloud Pak for Integration

Soluções rápidas, aderência ao novo mercado e operações com entrega contínua, esses são os benefícios iniciais de um primeiro momento com o Cloud Pak for Integration, além das vantagens padrões de todos os Cloud Paks. Esta tecnologia executa uma integração e interação preocupada em disponibilizar uma comunicação segura, versátil e imediata, respondendo com agilidade e exatidão toda e qualquer necessidade, através de um conjunto de soluções IBM premiadas.

O Cloud Pak for Integration cria uma experiência de suporte personalizado, pensando na necessidade das empresas e de seus clientes, para só depois modelar uma integração específica para a realidade estudada.

Modernizar conectores com segurança, lidando com seus dados e códigos, é prática que o Cloud Pak for Integration desempenha com a devida atenção e destreza. Esta integração customizada olha a integridade do negócio para só depois identificar suas fragilidades, levantar alertas sobre suas urgências estruturais e escolher o melhor modelo de vínculo. E, assim, conectar dados e aplicativos para amadurecer processos, crescer organizações e escalar bons resultados.

Por que o Cloud Pak for Integration se faz necessário?

Como solucionar algo sem compreender suas causas e ser capaz de tratar suas especificidades? Customizando soluções a partir da integração de ferramentas e interação de recursos. O Cloud Pak for Integration implementa ativos respeitando adaptações seguras e trabalhando com elementos previamente analisados, testados e acompanhados.

Cada técnica do Cloud Pak for Integration está ligada ao objetivo de desenvolver um fluxo de dados, recursos e processos acoplados com segurança.

A sincronia dos sistemas influência no andamento operacional e dita até onde a empresa pode fazer ou evoluir. Essa reunião de atributos da tecnologia do Cloud Pak for Integration não integra apenas habilidades, recursos e informações, pelo contrário, ela se preocupada em conectar soluções compatíveis para gerar processos consistentes e capazes de elevar a produção sem abrir mão de uma performance segura.

Hybrid Integration Platforms – A nova fase das integrações

A Hybrid Integration Platform (HIP) é uma solução que possibilita a interação contínua de aplicativos locais com a nuvem, de forma segura, agilizada e, por isso, mais eficiente.

Essa integração de recursos promove inovações importantes para agentes de TI e reduz, consideravelmente, as possibilidades de riscos na comunicação entre sistemas e plataformas.

Por que usar Hybrid Integration Platform?

A HIP é um meio usado para realocar informações, integrar ferramentas e criar sistemas abertos, facilitando a comunicação entre os recursos e modernizando modelos de negócios.

Através de plataformas de integração híbrida, dados e sistemas se conectam, promovendo um alto nível de comunicação e atualizando operações sem prejudicar o andamento dos serviços.

As plataformas de integração híbrida atuam como um plano de harmonização sistêmica, ou seja, alinha o fornecimento de informações e funções, entre múltiplos dispositivos e em formato variado, assegurando a prática de um propósito comum: ampla disponibilidade de uma comunicação segura e sem obstáculos.

A flexibilidade presente na abordagem técnica da HIP toma para si a responsabilidade de prover interação 100% segura, adaptável e multiuso.

A eficácia de uma tecnologia depende do quanto ela realmente é capaz de solucionar. Hoje o compartilhamento é um item indispensável: ninguém, seja empresa ou pessoa física, existe sem estar prontamente conectada.

As estratégias de integração da plataforma entrega ao usuário uma experiência de interatividade robusta e imediata, reunindo pontos opostos, complexos ou distantes, para customizar uma comunicação multifacetada e incrivelmente potente.

Os benefícios e vantagens da Hybrid Integration Platform

O aglomerado de potencialidades que a cloud e HIP disponibilizam em conjunto, modela uma comunicação inteligente e rapidamente disponível. A integração customiza a tecnologia para atender todos os tipos de necessidades, negócios e modelo de consumo.

Com plataformas de integração híbrida, qualquer empresa pode ganhar uma diversidade de meios para fornecer produtos ou serviços em tempo real e em grande escala.

Além desse nível de crescimento, o uso da HIP também reduz custos operacionais, porque não é necessário manter, comprar ou atualizar vários softwares para responder ao que uma integração já resolve, mas com maior assertividade e em um curto espaço de tempo. Investir em interações com recursos de cloud é formalizar um ambiente híbrido para iniciar uma transformação digital agora.

Negócios que prospectam crescimento nesses tempos de alta conectividade, precisam recorrer, o quanto antes, aos novos recursos da Hybrid Integration Platform.

Modernizando e desenvolvendo aplicações através de uma plataforma integrada

Modernizar aplicativos é a prioridade para negócios que buscam por relevância e crescimento sustentável. Desenvolver estas aplicações se tornou critério de comprometimento com os novos padrões de trabalho e consumo do mercado vigente.

Mas, por que modernizar o desenvolvimento de Apps?

Ser capaz de entregar com rapidez os requisitos solicitados pela transformação digital imprime uma urgência em se adequar ao novo perfil de solução que esperamos ter acesso. A modernização dos processos de desenvolvimento de Apps é um método que prepara aplicações para lidar com uma série de mudanças, normas, políticas e culturas.

A jornada de modernização de aplicativos busca atender aos altos padrões de produção e segurança do novo modelo de operação.

O grande desafio desse caminho é justamente a permanência de aplicações tradicionais em meio ao funcionamento dos novos aplicativos desenvolvidos com ferramentas nativas da cloud. Tudo isso sem interromper o trabalho de desenvolvimento e aproveitando a infraestrutura ao máximo. O importante aqui continua sendo o uso consciente dos recursos para melhorar operações e reduzir custos com a manutenção de processos ou sistemas.

Como a modernização aprimora o desenvolvimento de aplicações

Desenvolvedores e arquitetos corporativos trabalham para conectar soluções e integrar recursos, alinhando necessidades de múltiplos setores para acelerar a modernização de aplicativos com mais segurança, conformidade e organização. A mobilidade de operações fechadas para serviços abertos vai unificar o gerenciamento de sistemas para se beneficiar das vantagens da simultaneidade da computação em nuvem. 

Essa migração otimiza aplicativos e permite que desenvolvedores possam criar soluções com execuções ágeis, direto da nuvem, e viabilizar conexões com mais extensão, qualidade e disponibilidade.

Uma plataforma interativa ajuda na governança e no controle das aplicações, além de contribuir com a segurança e apoiar empresas durante o cumprimento das diretrizes de conformidade, políticas e requisitos. Na modernização de aplicativos a flexibilidade e portabilidade dos apps preservam a importância da independência dos recursos e evita a dependência de um fornecedor, apoiando cargas de trabalho do legado, assim como as tarefas nativas da nuvem.

O processo de desenvolvimento de aplicações precisa receber uma transformação digital.

As organizações enfrentam uma demanda de agilizar apps sem comprometer a qualidade da operação, muitos menos fragilizar a segurança integral do negócio. Só a transformação digital fornece esse nível de trabalho e ajuda os agentes de TI no desenvolvimento imediato de soluções maduras. Solucionar problemas urgentes e impedir que outros incidentes aconteçam é manter aplicações modernas ou legadas dialogando com a mesma qualidade e segurança.

Acelerar ações de detecção, correção e prevenção, é fator altamente desempenhado pela transformação digital de processos e aplicativos.

Inovar as metodologias de desenvolvimento de apps e outras soluções, é intensificar a digitalização de produtos, processos e operações. Impulsionar a transformação digital possibilita desenvolver aplicativos mais eficientes, com o menor custo possível e em um curto espaço de tempo. A rapidez que modela o mercado de agora não tem espaço para padrões técnicos antigos, rígidos e limitados. Hoje, o status de solução só é entregue para apps capazes de personalizar seus componentes para ser cada vez mais ágil, assertivo e escalável.

O IBM Cloud Pak for Applications emprega esses novos valores técnicos ao seu modelo sistêmico

O IBM Cloud Pak for Applications modela as aplicações em processos de desenvolvimento de alta velocidade e hiperescala. Com automações aprimoradas, é possível melhorar o ciclo de vida do aplicativo e adicionar inteligência artificial para elevar as competências técnicas da solução. Nesse seguimento, obtemos mais que agilidade, conquistamos mais confiabilidade operacional e adquirimos aplicações de alta performance.

Através do IBM Cloud Pak for Applications a segurança ganha novos padrões de detecção e prevenção contra falhas ou riscos. O objetivo aqui não é apenas corrigir ameças ou erros, mas automatizar tarefas de monitoria e inspeção, por exemplo, e acompanhar de perto o processo de cada fase ou setor, evitando qualquer tipo de prejuízo ao negócio.

O funcionamento e os benefícios do IBM Cloud Pak for Applications

É possível modernizar negócios através do desenvolvimento de aplicações ágeis, proativas e capazes de amadurecer operações, além de reduzir custos com a manutenção de serviços ou licenças. Conheça neste artigo um dos principais Cloud Pak da IBM.

Entendendo a abordagem do IBM Cloud Pak for Applications

O ciclo de vida das aplicações influencia diretamente na qualidade operacional de um negócio. Tornar esse processo o mais moderno e eficaz possível é se comprometer com o desenvolvimento de solução apta para lidar com as novas necessidades do mercado. 

O IBM Cloud Pak for Applications prioriza sua atuação em duas abordagens principais: modernizar aplicações através da atualização de seus componentes e criar aplicativos de alta performance.

Seja revitalizando sistemas tradicionais ou desenvolvendo aplicações modernas, ambas ações visam a promoção de flexibilidade, escalabilidade e ampla conectividade. Sendo assim, recorrer aos recursos da computação em nuvem é garantir a vigência desses critérios.

Aplicativos elaborados em cloud são facilmente escaláveis, além de obterem atualização simplificada e desempenho econômico.

Como o IBM Cloud Pak for Applications funciona?

Hoje, responder às mudanças com agilidade e assertividade define a relevância de uma solução. O Cloud Pak for Applications possui ferramentas para obter um diagnóstico prévio sobre o negócio, entendendo suas necessidades e identificando a melhor aplicação para aquele modelo operacional. Partindo desse detalhamento, já é possível pré-desenvolver uma solução, mas deixando-a aberta para receber melhorias, personalizações ou implementações locais.

Aplicativos adaptáveis entregam mais possibilidades de aperfeiçoamento das competências de uma operação que busca aderência e conectividade facilitada.

A alta disponibilidade do IBM Cloud Pak for Applications é mantida e assegurada pelos recursos do Red Hat OpenShift Container Platform. Ampliar a integração entre soluções, sem vulnerabilizar a comunicação na rede significa disponibilizar aplicativos de forma imediata, segura e seguindo protocolos de segurança previamente programados através de automações. 

Quais os principais benefícios do IBM Cloud Pak for Applications?

O desenvolvimento rápido de aplicações entrega mais resultados em um curto espaço de tempo. No Cloud Pak for Applications o aproveitamento inteligente de tempo e recurso viabiliza soluções simultâneas ao problema ou necessidade. A unificação do gerenciamento de componentes em uma única plataforma através kubernetes, além de agilizar a integração de aplicativos, também acelera os resultados da governança.

A formação de equipes multidisciplinares transformam operações em soluções organizadas, automáticas e com pré-configuração, sendo possível inovar rapidamente e acessar novos modelos técnicos sem sofrer com inatividades.

O provisionamento de ponta a ponto do IBM Cloud Pak for Applications, conecta e integra recursos distintos tendo em vista a eficiência de equipes, aplicativos e processos. Desenvolvedores e arquitetos também usufruem dessas condições, podendo executar projetos de forma simplificada, orquestrada, segura e diligente.

A inovação que o IBM Cloud Pak for Applications provoca

Customizar soluções diz respeito a liberdade de proporcionar ao negócio uma aplicação específica, longe de padrões fechados e sem opção de adaptação. O IBM Cloud Pak for Applications atua no desenvolvimento de aplicativos programados para se adequar ao que cada operação espera ou precisa. 

A transformação digital pede infraestruturas abertas e sistemas habituados com a interação entre recursos, processos e políticas programadas.

No IBM Cloud Pak for Applications a tecnologia é usada para atender clientes e solucionar suas questões. Oferecer uma experiência de soluções instantâneas é automatizar diversos suportes, sem demorar para alcançar objetivos e escalar bons resultados através da potencialidade presente na união da automação com a computação em nuvem.

Hoje, não existe novo mercado sem uma rotina de integração e conectividade. Qualquer solução para ser efetiva, necessariamente deve ser aberta, interativa, flexível e adaptável. 

Containers e Cloud Paks: facilitando o processo de adoção de nuvem

Moldar um operacional sem ampla flexibilidade e conectividade, é inviável para qualquer negócio que busca crescimento proporcional ao seu objetivo e expectativa. Recursos de containers, como base principal dos IBM Cloud Paks, agregam ainda mais agilidade e mobilidade para a conexão das soluções.

É necessário proporcionar alta capacidade de adaptação e integração

Para adquirir mais portabilidade, rapidez e segurança, o conjunto de IBM Cloud Paks baseia sua solução em uma unidade de containers. Com o auxílio dessa tecnologia, fica fácil virtualizar sistemas operacionais e isolar processos para controlar melhor a usabilidade de espaço, cloud e memória.

Por serem compactos, ágeis, leves e portáteis, os containers são facilmente integrados aos Cloud Paks e lidam muito bem com multiplataformas.

Diferente de uma máquina virtual tradicional (MV), os containers fornecem um nível de virtualização superior, servindo de espaço para compartilhamento de sistema operacional, biblioteca de dados e aplicativos. É notório como a promoção de portabilidade dos containers, geram ainda mais facilitadores ao processo de adoção de nuvem nos IBM Cloud Paks.

Autonomia com integração sem fragilizar a segurança

As soluções de Cloud Paks são desenvolvidas em arquitetura moderna, a qual é majoritariamente virtualizada e facilmente integrada, sem perder autonomia e sendo absoluta em sua adaptação. Nesse fluxo, os containers ajudam com padrões de suporte para desenvolver aplicativos, executar soluções e regular as implantações de incrementos.

Utilizando containers é possível modernizar e migrar aplicativos para nuvem, sem tempo de inatividade e otimizando o processo de transformação digital dos serviços.

Todos os protocolos de gerenciamento multicloud, desenvolvimento de aplicativos nativos em nuvem e integração com automações facilitando a coleta de dados, são benefícios recorrentes do uso de containers nas aplicações dos IBM Cloud Paks.

É necessário integrar recursos para solucionar com mais exatidão e escalabilidade

Na condução de uma integração segura, temos a orquestração de containers com kubernetes para gerenciar grandes volumes de aplicações simples ou complexas, dimensionando e balanceando cargas de trabalhos simultaneamente. Assim, os Cloud Paks podem monitorar a saúde do ciclo das soluções com muito mais eficiência.

Nessas condições, o uso de software open contribui com a disponibilidade rápida e em grande escala, por meio do compartilhamento aberto e de uma integração imediata.

Em pacotes promovidos pela integração da IBM com a Red Hat, podemos encontrar Cloud Paks compostos por software open e outras ferramentas de arquitetura aberta. O entendimento da importância dos recursos ligados é a prova da necessidade de padrões técnicos munidos de soluções passivas de integração.

Só a ampla conectividade gera múltiplos resultados instantaneamente

Embora a conectividade seja notoriamente fundamental, ainda nos deparamos com infraestruturas fechadas e encontrando dificuldade em tornar suas soluções abertas.

Os IBM Cloud Paks atuam simplificando essa integração e transformando a jornada de migração para a nuvem em um processo mais controlável e satisfatório.

Hoje, não se ganha escalabilidade sem a presença da interação entre soluções e dos benefícios da computação em nuvem.

O que são os IBM Cloud Paks

A computação interativa e dinâmica é fórmula sólida para negócios que buscam inovação em grande escala e com o menor custo possível.

Para isso acontecer, atuar de forma aberta, ampla e portátil, é uma necessidade incontestável e já resolvida pelos IBM Cloud Paks.

O que são os IBM Cloud Paks?

Os IBM Cloud Paks são pacotes com premiadas soluções IBM em software conteinerizados e executados sobre plataforma Openshift. É um conjunto de soluções prontas para modernizar sistemas, gerenciar processos e mover ferramentas de negócios para uma atmosfera de cloud privada ou pública e em sistema pré-integrado ou híbrido.

Através deles é possível adquirir um conjunto de soluções IBM para diversos segmentos com licenciamento simplificado e, principalmente, por um custo vantajoso.

São seis diferentes Cloud Paks

Confira abaixo os diferentes pacotes desenvolvidos pela IBM

Cloud Pak for Multicloud Management:  focado em apresentar detalhamento de fluxos de atividades e ajudar na governança, priorizando a segurança das operações.

Cloud Pak for Applications: ideal para desenvolver, implementar e executar aplicativos em processos rápidos, visando o aproveitamento de tempo, tarefas e recursos técnicos.

Cloud Pak for Data: coleta dados, organiza informações, analisa métricas e elabora relatórios usados para indicar possíveis insights, mudanças ou novas soluções.

Cloud Pak for Integration: atua integrando aplicativos, dados, serviços de cloud e APIs, sem fragilizar a segurança e fortalecendo a assertividade da conectividade praticada.

Cloud for Automation: transforma processos, tarefas e serviços em recursos integrados, porém, já mais automáticos, inteligentes e independentes. Essa produção de conteúdo e funções ajuda na tomada de decisões.

Cloud Pak for Security: é responsável por integrar ferramentas com o objetivo de detectar ameaças e indicar erros, promovendo mais segurança em ambientes de multicloud ou estações híbridas.

Como os IBM Cloud Paks funcionam?

Os Cloud Paks são uma jornada de migração e atualização completa, mas simples e adaptável. Eles ajudam na mobilidade de cargas de serviços para um espaço de cloud, mas também aceleram a transformação digital de operações via inteligência artificial (IA). 

Com implementação simplificada e agilizada, os IBM Cloud Paks orquestram contêineres fundamentados em Kubernetes e configurações predefinidas para cada produção.

A base dos IBM Cloud Paks é a integração de recursos, sistemas e funcionalidades. Essa estrutura cria aplicativos mais ágeis e provoca uma produtividade escalável através da automação.

Além de ampliar a linha de suporte norteador para mircrosserviços, esse conjunto de recursos também introduz interatividade em estações computacionais sem servidores.

Nos IBM Cloud Paks a automação de processos se apoia na integração de aparelhos, promovendo suporte para qualquer tipo de fluxo de trabalho, dados ou evento.

Nos Cloud Paks a coleta de dados é unificada, mas interligada e simplificada, com o objetivo de rapidamente conhecer o andamento real dos processos e customizar decisões para melhoras as estações de tarefas.

Em cenário multicloud ou híbrido, os IBM Cloud Paks fortalecem padrões de gerenciamento, governando eventos simultâneos, administrando integralmente as infraestruturas, monitorando aplicativos e supervisionando a integração das ferramentas.

Quais benefícios os IBM Cloud Paks promovem?

Sendo capaz de reduzir o tempo de desenvolvimento em até 80% e abreviar despesas operacionais em até 75%, os IBM Cloud Paks melhoram as atualizações de sistemas, modernizam aplicativos com alta velocidade e otimizam a mobilidade de dados com alta segurança.

Os Cloud Paks facilitam a visibilidade das operações, além de tornar a governança uma realidade controlável e faz da automação uma tecnologia fundamental para antecipar bons índices de produção.

Com uma engenharia de rede e ciência de dados estrategicamente aplicadas, as soluções são desenvolvidas com IA e executadas em protocolos técnicos dos IBM Cloud Paks.

Projetado para tornar a mobilidade extensa, veloz e segura, os Cloud Paks podem vistoriar multiplataformas periodicamente, detectando ameaças ocultas e informando sobre falhas atuais ou possíveis riscos.

É preciso transformar sistemas em recursos flexíveis, interativos e móveis

A conectividade que os IBM Cloud Paks promovem, acentua uma mobilidade flexível, aberta, protegida e devidamente auxiliada por integrações contínuas.

Sistemas sem conectividade ou imóveis, acabam por dificultar a qualidade da interação entre soluções e consequentemente limitam o nível da evolução dos negócios.

Os IBM Cloud Paks exploram o máximo das possibilidades de conexões que a IA entrega e a automação aciona.

Dentro de uma governança direta, personalizada e constante,  Os IBM Cloud Paks, independentemente da realidade, fornecem ao mesmo tempo: produtividade, conexão e segurança.