ODM: Como otimizar suas decisões recorrentes em TI

[vc_row][vc_column][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]A tecnologia para gerenciamento de regras de negócio da IBM “Operational Decision Manager” permite o gerenciamento da lógica comercial fora dos aplicativos de uma maneira centralizanda, reduzindo a dependência dos profissionais de negócios em TI e capacitando-os a criar e gerenciar regras para a empresa.

Com o aumento da automação das decisões empresariais, a essas fica mais limitado o risco de interpretação de normas e leis do comércio, gerando cada vez mais documentações e relatórios de auditoria precisos.

Ainda, a tecnologia também pode ser utilizada para melhorar a segurança das transações de negócio da empresa, com sistemas inteligentes que analisam as transações de negócio históricas para diferenciar as ações suspeitas das legítimas e através da possibilidade de detectar e reagir à ameaças e vulnerabilidades, permitindo responder rapidamente às mudanças das condições de negócios, criando um sistema de detecção de fraude que se adapta rapidamente as novas ameaças.

Outra vantagem é a possibilidade de registrar as ações criando históricos e modelos analíticos para fornecer contextos de decisão e identificar novas possibilidades de transações fraudulentas. Às empresas também é possível avaliar o perfil dos clientes para criação de programas de fidelização e informações para direcionamento de compras e vendas.

 

Como implementar ODM em sua empresa

O “IBM Operational Decision Manager”, é uma das ferramentas disponíveis no mercado que permite a otimização de decisões recorrentes em TI é uma plataforma que possibilita aos profissionais de negócio gerenciar e automatizar regras comerciais, eventos e definições operacionais que se repetem constantemente e afetam o desempenho do negócio.

Uma das formas de implementar de maneira rápida é a utilização desta plataforma em nuvem, que traz economia, flexibilidade, portabilidade, sustentabilidade e a otimização da equipe de TI na gestão dos negócios.

A ferramenta é composta por dois componentes principais:

O Decision Center possibilita a criação e manutenção das regras pelas áreas de negócio através de uma interface WEB, possuí politicas de segurança com diversos papeis, desde de simples visualizador até administrador. Essas regras também podem ser definidas e atualizadas no Decision Center. As mesmas são armazenadas em um repositório que as gerencia e controla. A partir de então, as regras são implantadas no Decision Server, que as executa e fornece instalações de monitoramento e medição. As regras também podem ser implantadas diretamente no Decision Server utilizando-se o Designer de Regras ou Designer de Eventos

O Decision Server, que é onde as regras são implementadas e as decisões são processadas, com ferramentas de controle do tempo de execução de regras e eventos comerciais. Vários componentes dão acesso a diferentes tipos de usuários, permitindo a concepção, autoria, revisão, teste e execução das regras de negócios.

 

Caso de sucesso

No Brasil as Empresas de seguro começaram a fazer a análise de perfil dos clientes criando regras de preço complexas e com fácil manutenção, e agora estão evoluindo também para a detecção de fraude nas solicitações de indenização.

Nos últimos anos, o banco italiano Credito Valtellinese Bankadati vinha passando por uma mudança crucial. Os seus clientes – e não a tecnologia – começaram a nortear o caminho estratégico da empresa, exigindo uma agilidade de TI e de processos sem precedentes.

Passar de um modelo de negócios centrado no produto para um modelo centrado no cliente exigiu que o Credito Valtellinese Bankadati precisasse racionalizar sua habilidade de melhorar dois mil processos de negócios.

Como solução, a empresa utilizou a tecnologia abordada neste artigo para acelerar a implantação de processos operacionais e voltados ao cliente. O resultado foi que o banco italiano conseguiu reduzir em mais de 90% o tempo necessário para oferecer soluções de melhoria de processos comerciais: de dias, o tempo de resposta passou para quatro horas.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_empty_space][vc_btn title=”Baixe o Ebook: Automação de processos com software robô” color=”sandy-brown” size=”lg” i_icon_fontawesome=”fa fa-arrow-down” css_animation=”bounceIn” add_icon=”true” link=”url:https%3A%2F%2Fmateriais.certsys.com.br%2Frobotize-atividades-humanas-rpa-certsys|||”][/vc_column][/vc_row]

IoT: como a Internet das Coisas traz benefícios no meio corporativo

[vc_row][vc_column][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]A Internet das Coisas (IoT – Internet of Things) é um conceito que tem ganhado cada vez mais força e popularidade em diversos meios. Tratam-se de princípios bastante promissores relacionados à capacidade de controlar objetos de nosso trabalho utilizando a internet. Em tempos de constante mudança e renovação, se falava que “A Internet das Coisas é algo do futuro”. Mas, ao contrário do que se especulava, a IoT já está presente em diversos formatos, especialmente no mundo dos negócios.

Segundo a consultoria Gartner, a IoT, junto com a computação cognitiva, blockchain e outras tecnologias emergentes, deve tomar conta das relações corporativas já em 2018, otimizando processos, dinamizando rotinas e potencializando resultados. Conheça mais sobre as tendências tecnológicas para 2018.

Entre os diversos benefícios, a IoT permite às empresas fazer uma grande economia de recursos financeiros. Isto porque possibilita a diminuição do quadro de funcionários, promove redução no consumo de eletricidade, amplia a vida útil dos equipamentos da empresa, entre outros cortes de custos.

Para que seja utilizada da melhor forma, a IoT exige cuidados com a segurança, pois os dispositivos estarão conectados e possívelmente vulneráveis, e com o tipo desta conexão, afinal, a forma de comunicação torna-se cada vez mais complexa – o que abre uma vertente na computação em nuvem para o chamado Edge Computing. Apesar da preocupação com estes cuidados e investimentos, eles são justificados pelos enormes benefícios da IoT, como estes que listamos abaixo.

 

Integração entre clientes e setores

A Internet das Coisas permite uma automação muito mais completa, autônoma e integrada da empresa entre os suas diversas áreas e também entre a companhia e clientes, facilitando o atendimento e potencializando resultados através da sintonia entre diferentes times.

 

Constante monitoramento

Usando dispositivos altamente configuráveis e customizáveis, empresas estão otimizando, em tempo real, estatísticas de vendas, churn, ticket médio, alcance de metas, desempenhos individuais e coletivos de profissionais, entre outros dados que exigiriam uma auditoria completa há pouco tempo.

Além de manter um olhar interno à empresa, dispositivos relacionados à IoT monitoram ainda, durante 24 horas, todos os riscos que o negócio sofre em relação às ameaças constantes do mercado. É uma tendência que, associada à experiência de consultores e Inteligência Artificial, permite a adoção de estratégias rápidas e assertivas para tomar decisões rentáveis.

 

Falhas e erros

Com a Internet das Coisas, muito mais sistemas de sua empresa, que se relacionam com equipamentos e processos, estarão submetidos a métodos e padrões digitais de execução. Com isso, falhas e erros se tornam mais previsíveis, podendo ser corrigidos antes mesmo que aconteçam e causem prejuízos ao negócio. Com essa previsibilidade, toda a companhia sai ganhando e o trabalho dos colaboradores se torna mais eficiente.

 

Autonomia para funções operacionais

Muitas ocupações em uma empresa podem ser desempenhadas com mais performance por máquinas do que por pessoas. Entretanto, há outros trabalhos nos quais o uso da inteligência humana é indispensável. A Internet das Coisas permite que a sua empresa use as cabeças para funções estratégicas, de gestão e de liderança, enquanto as máquinas fazem o trabalho mecânico e padronizado que exigem precisão, agilidade e repetição constante.

 

Coletar feedbacks precisos

Nos próximos 5 anos, a IoT deve aprimorar outra tecnologia chamada Gêmeos Digitais, ou Digital Twins em inglês, que possivelmente se espalhará pelas empresas. É como uma cópia digital de um ativo ou processo, que recebe estímulos e oferece feedbacks sobre os mais diversos produtos e serviços. Associando estes insights a toda capacidade técnica de ferramentas de Computação Cognitiva, como o Watson, da IBM, a tendência é que as empresas consigam ler tendências e descobrir anseios de seus clientes com muito mais precisão.

 

Saiba mais sobre outras tendências tecnológicas:

Inteligência Artificial – Descubra a visão dos executivos
Cloud Computing – Conheça os modelos de nuvem
Edge Computing – A evolução da cloud para IoT
Blockchain – Muito além do bitcoin[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]