Desafios para a modernização de aplicações

Para modernizar as suas aplicações, as empresas precisam migrar aplicações legadas para sistemas atuais de nuvem, com plataformas de containers e microsserviços. Afinal, tecnologias ultrapassadas geram baixa produtividade, indisponibilidade de serviços, experiências de usuários ruins, altos custos de manutenção e consequentes limitações para os ganhos. 

A capacidade de adotar novas capacidades e fluxos de trabalho é fundamental para que as empresas possam se adequar às demandas do mercado e otimizar o desempenho dos seus negócios. Porém, para modernizar suas aplicações, elas precisam enfrentar muitos desafios, como migrar para a nuvem, mover os seus dados ou as suas cargas de trabalho, gerenciar múltiplos fornecedores de nuvem e lidar com custos altos de investimento e manutenção.

Neste artigo, vamos explicar quais são os maiores desafios enfrentados pelas empresas para modernizar as suas aplicações e trazer dicas para ajudá-las a superá-los.

Por que é importante modernizar as aplicações?

As demandas por eficiência, agilidade e inovação exigem que as organizações modernizem ambientes, reduzam a complexidade e adotem soluções das plataformas de nuvem híbrida, utilizando microsserviços, containers, DevOps, Internet das Coisas, entre outras tecnologias.

Porém, as empresas ainda enfrentam muitos desafios para migrar o seu conjunto de cargas de trabalho e aplicações para a nuvem. A seguir, vamos mostrar alguns dos principais desafios que as empresas enfrentam atualmente e apontar caminhos para superá-los.

1. Migração para a nuvem

A migração para a nuvem é parte integrante das as estratégias de transformação digital e de negócios. A nuvem permite que as empresas inovem mais rapidamente, controlem custos, façam melhor uso de seus dados e ofereçam melhores experiências aos clientes.

Porém, o maior desafio enfrentado pela maioria das organizações é gerenciar a complexidade desses processos.  Afinal, a adoção da nuvem envolve questões de segurança, resiliência e riscos de interrupções e tempos de inatividade. Além disso, muitas empresas têm informações confidenciais, que elas preferem não colocar em nuvens públicas.

Por isso, a maioria das empresas ainda não consegue aproveitar todos os potenciais oferecidos pela nuvem.

Mas, com as soluções das plataformas de containers e DevOps, é possível migrar e transformar aplicações legadas para os novos sistemas de nuvem, favorecendo assim a migração e a modernização das aplicações.

2. Fazer a integração dos dados e da carga de trabalho

Devido a obstáculos como segurança, conformidade e localização, muitas empresas têm dificuldade para mover os seus dados ou as suas cargas de trabalho para a nuvem pública. Pesquisa feita pela IBM mostra que apenas cerca de 33% das cargas de trabalho foram migradas para a nuvem até o momento.

Mas, com a integração e disponibilização de serviços de negócio e APIs adequados, é possível suportar cargas de trabalho e dados empresariais e, ao mesmo tempo, impulsionar a inovação.

Por exemplo, uma empresa pode manter as informações de seus clientes mais confidenciais nas suas próprias instalações, os seus dados de marketing em um fornecedor de nuvem pública e uma aplicação nativa sensível numa nuvem privada, com segurança e integração.

3. Múltiplas nuvens e fornecedores

Transferir toda a infraestrutura e as aplicações de uma empresa para um único provedor é pouco recomendável, devido a fatores como segurança, eficiência e economia. De acordo com o estudo da McKinsey & Company, 94% das empresas pesquisadas contam com múltiplos fornecedores de nuvem para alcançar os seus objetivos de negócios.

As soluções de gerenciamento de multicloud permitem que as empresas combinem nuvens variadas para tirar proveito de características diferentes com flexibilidade e agilidade. Elas oferecem visibilidade completa e controle na combinação preferida de uma empresa de fornecedores e modelos de nuvem, sem sacrificar a segurança rigorosa.

4. Inovar as metodologias de desenvolvimento de apps

Modernizar aplicativos envolve desafios como custos, infraestrutura, qualificação de mão de obra e atualização dos sistemas operacionais. Além disso, a modernização dos processos de desenvolvimento de Apps precisa preparar aplicações para lidar com uma série de mudanças, normas, políticas e culturas.

Para superar essas dificuldades, é preciso criar soluções com execuções ágeis, direto da nuvem, e viabilizar conexões com mais extensão, qualidade e disponibilidade.

5. Lidar com custos altos de manutenção

Sistemas legados ou adquiridos no modelo on premises demandam um investimento alto e necessitam de despesas consideráveis com manutenção e atualização ao longo do tempo.

Diante dos custos elevados com a manutenção das infraestruturas privadas, as empresas devem considerar dividir boa parte de seu workload com a nuvem pública. O provedor dos serviços se responsabiliza por disponibilizar novas funcionalidades e por manter o ambiente atualizado e seguro.

Além de oferecer redução de custos, essa modalidade permite mais agilidade na entrega de demandas e facilita a implementação de novas tecnologias.

Modernize as suas aplicações legadas

O programa desenvolvido em conjunto pela Certsys e IBM contempla uma jornada completa de modernização, transformação e migração de aplicações legadas, desde a avaliação até a manutenção.

O IBM Cloud Pak for Applications modela as aplicações em processos de desenvolvimento de alta velocidade e hiperescala. Com automações aprimoradas, é possível melhorar o ciclo de vida do aplicativo e adicionar inteligência artificial para elevar as competências técnicas da solução. Nesse seguimento, obtemos mais que agilidade, conquistamos mais confiabilidade operacional e adquirimos aplicações de alta performance.

Com o IBM Cloud Pak for Applications, a segurança ganha novos padrões de detecção e prevenção contra falhas ou riscos. O objetivo aqui não é apenas corrigir ameaças ou erros, mas automatizar tarefas de monitoria e inspeção, por exemplo, e acompanhar de perto o processo de cada fase ou setor, evitando qualquer tipo de prejuízo ao negócio.

Aumento de Automação com Digital Workers

Processos de negócios geralmente envolvem tarefas repetitivas e de baixo valor agregado, como inserir dados ou mover informações em múltiplas telas. Porém, essas tarefas tendem a ser demoradas e propensas a erros, devido ao envolvimento humano.

Com o desenvolvimento de novas tecnologias de inteligência artificial, a automatização tem evoluído rapidamente, contribuindo para o aumento de eficiência e produtividade, a redução de custos e uma maior satisfação do cliente final. Neste artigo, vamos mostrar como a automação e o uso de trabalhadores digitais podem ajudar a otimizar os processos e melhorar o desempenho do seu negócio.

Mais produtividade com o uso de mecanismos robóticos

Atualmente, a tecnologia pode ser integrada em qualquer setor onde processos baseados em regras altamente repetitivas são realizados com frequência nas empresas.

Segundo uma pesquisa “Tendências para Transformar sua Empresa 2020”, 70% dos gestores acreditam que devem investir em automação de processos. Entre as tendências de tecnologias mais citadas no levantamento destacam-se a Cloud Computing e a Inteligência Artificial, mencionadas por, respectivamente, 56,8% e 49,2% dos entrevistados.

Diferentemente das pessoas, os trabalhadores digitais permanecem operacionais e eficientes fora do horário de trabalho comercial. A Automação Robótica de Processos (RPA) pode ser utilizada para automatizar até 80% dos processos regulares das empresas e a torná-lo 32 vezes mais rápido do que um processo realizado manualmente.

A automação transforma a velocidade e a escala de trabalho, possibilitando:

  • Identificar as oportunidades ideais de automação;
  • Processar grandes volumes de dados em um tempo muito menor;
  • Impulsionar a tomada de decisões e o aprimoramento contínuo dos processos;
  • Equilibrar as tarefas humanas e as tarefas de máquina para gerar uma composição ideal de força de trabalho colaborativa.

Por que investir em trabalhadores digitais?

O conceito de digital labor (trabalhadores digitais) se refere à tecnologia capaz de automatizar tarefas repetitivas e organizar processos, aumentando a produtividade e a escalabilidade dos negócios.

Essa tecnologia permite implementar capacidades robóticas que diminuem erros na operação, liberando tempo das pessoas para que elas possam executar tarefas com maior valor agregado.

A colaboração entre trabalhadores digitais e humanos aumenta o engajamento e promove aumento de receita por funcionário nas organizações. Além disso, as organizações tornam-se mais competitivas, devido à capacidade de gerar rapidamente novos modelos de negócio, com menor risco e maior previsibilidade.

Como aumentar a automação com trabalhadores digitais

A seguir, vamos mostrar como desenvolver e gerenciar um trabalhador digital pode contribuir para otimizar os principais indicadores de desempenho da função de contas a pagar. Geralmente, uma empresa de finanças geralmente vai recorrer à automação com três objetivos principais:

  • Reduzir o tempo para pagamento;
  • Aumentar a precisão dos dados;
  • Cumprir o Acordo de Nível de Serviço (SLA) para receber descontos.

Mas como será possível fazer tudo isso?

Suponha que a sua empresa tenha um fluxo de pagamento de contas todo manual. Isso implica que ela terá que fazer o lançamento de todas as suas ordens de compra no seu sistema legado e ainda documentar as faturas em T-POS (Purchase Orders, ou Ordens de Compra).

Após essas etapas, você poderá finalmente processar o pagamento. Durante o processo de análise, você identifica duas tarefas que demandam otimização:

  • Enter Invoice (Insira a Fatura);
  • Match invoice (Combine a Fatura).