Alinhar tecnologia e cultura para obter resultados rápidos e eficientes

Os recursos de DevOps fornecem uma abordagem cultural que estabelece novos direcionamentos de automação e design para criar plataformas ágeis, eficientes e seguras. Nesse sentido, não existe o uso de DevOps sem antes escolher as tecnologias certas e aplicar uma cultura pensada para o negócio. Alinhar os avanços tecnológicos com culturas operacionais inovadoras é disponibilizar serviços de TI com maior aderência, assertividade e controle.

Qual a importância de unir cultura e tecnologia?

É impossível crescer sem a presença de uma cultura organizacional baseada em novas tecnologias e metodologias abertas. Conectar aplicações legadas em soluções novas e infraestruturas modernas é um passo possível quando recorremos aos avanços da computação em nuvem e dos autosserviços.

Escalabilidade com total segurança, mesmo diante de alguma ferramenta obsoleta, só é possível quando nosso fundamento tecnológico é atualizado e preparado para entregar respostas rápidas.

DevOps desenvolve operações de maneira colaborativa, com trabalho interativo e, além de analisar dados, também examina práticas e avalia conceitos para criar condições tecnológicas satisfatórias. Toda mudança pede tecnologias atuais e no fim, a qualidade dessa transformação passa pelo uso de uma cultura organizacional.

Os primeiros passos para o alinhamento

Entenda as necessidades e os objetivos do negócio para, só assim, conseguir determinar o padrão de tecnologia e organização que sua empresa precisa. Essa é a primeira ação antes de qualquer outra medida. A cultura personaliza uma metodologia ideal, condicionada e preparada para desenhar a melhor política operacional possível na realidade corporativa vigente.

Administrar recursos em um ambiente de produção organizado e munido de trabalhos interativos possibilita um grau maior de respostas para solicitações ou mudanças. Através da cultura de DevOps, por exemplo, podemos flexibilizar operações e acelerar resultados, além de aperfeiçoar o aprovisionamento de software e criar autosserviços por intermédio de automações mais ágeis, modernas e integradas aos valores do negócio.

Não existe Tecnologia X Cultura

A tecnologia, quando dialogada com uma cultura bem entendida e praticada, ativa uma metodologia que valoriza desde os recursos tecnológicos até políticas corporativas e protocolos operacionais. Essa junção de valores técnicos e metódicos organiza uma infraestrutura dinâmica e adaptável, sabendo estabelecer ambientes padronizados mesmo em meio aos novos movimentos do mercado.

A cultura ajuda na organização dos recursos tecnológicos e isso resulta em um gerenciamento mais maduro. Essa maturidade técnica é sustentada pela metodologia e isso gera serviços rápidos, como a utilização de automações para tornar operações compatíveis com qualquer infraestrutura ou plataforma.

Promover uma cultura de colaboração alinhada com os princípios tecnológicos é implantar inovações com maior segurança e visando uma experiência de ampla interatividade. Viabilizar uma gestão via cultura aberta é enfatizar a importância da integração de recursos e usar a tecnologia como suporte dessa interação.

A importância dos microsserviços nas aplicações modernas

Com o objetivo de otimizar a modernização das aplicações é necessário recorrer ao que existe de melhor em integração, escalabilidade e implementação simplificada. Como melhor opção para essas necessidades, muitos optaram pelos benefícios reais da arquitetura multifuncional dos microsserviços.

Modernizando aplicações com microsserviços

Criar funcionalidades de negócios, permitindo adaptações facilmente e personalizando funções sem limites de escala, são vantagens dadas pelos microsserviços no processo de desenvolvimento e execução de aplicações. Essa infraestrutura de serviços autônomos e multifuncionais, pratica um escalonamento simples porque integra com mais aderência e conformidade.

Aplicações modernas necessitam de fundamentos abertos, dinâmicos e ágeis, por isso sua base abriga com precisão os recursos de microsserviços. O isolamento de serviços integrados ministra uma segurança mais firme, visto que falhas em serviços separados não comprometem a totalidade da solução, pois cada microsserviço pode se autorrecuperar.

Sem microsserviços a modernização perde fluidez e velocidade

A abordagem de microsserviços implanta nas aplicações modernas um sistema de comunicação entre ferramentas. Essa estrutura tem o cuidado de controlar os acessos, monitorar o compartilhamento de credenciais e supervisionar as integrações para tratar as vulnerabilidades com antecipação ao problema.

A metodologia de microsserviços indica novos protocolos de proteção e ajuda na formulação de uma política de segurança para aplicações modernas.

Além de funcionar em grande escala e economizar tempo devido ao seu desempenho ágil, os microsserviços também podem atuar em arquiteturas de containers. Medidas de segurança cibernética como a criptografia de dados, os testes automatizados e o monitoramento das interações entre os múltiplos serviços, são qualidades possíveis quando trabalhamos com essas tecnologias essenciais.

Os sistemas legados impactam na transformação digital

Modernizar o portfólio de sistemas, não é uma questão opcional. Continuar entregando soluções antigas para problemas novos, só vai gerar menos assertividade e provocar inconstância na entrega de uma qualidade escalável. O sistema legado não acompanha esse fluxo de mudanças, nem é munido de respostas rápidas para problemáticas inesperadas.

As aplicações modernas atuam de forma avançada e quando limitadas ao legado, perdem a potência de sua resiliência e flexibilidade.

O legado é uma barreira para quem busca evoluir negócios com microsserviços e modernizar suas condições técnicas. Iniciar uma jornada de migração do legado para aplicações modernas, é optar por inovar e crescer, desistindo de se limitar ao  que já é obsoleto.

Modernizar processos é o primeiro passo para progredir gradativamente

Quando a sistematização opera com padrões ultrapassados, mesmo querendo, fica impossível obter uma ampla eficiência e refinar os negócios. Se o mercado pede algo novo hoje, não podemos entregar um valor antigo como a melhor solução para um problema atual.

Novas necessidades demandam novas soluções e essas soluções são consequências das aplicações modernas.

Modernizar processos e sistemas é entender que resultados inovadores não vêm de uma sistemática antiga. Até mesmo o padrão de segurança de agora, só pode ser mantido e elevado com o auxílio das novas tecnologias. Inovar é usar aplicações modernas para testar possibilidades e isso determina a constância do crescimento de um negócio.