Como a nuvem híbrida pode ajudar a melhorar a sua infraestrutura de TI

Na jornada em direção à nuvem, fatores como segurança, custo e flexibilidade estão no topo das prioridades. Para aproveitar as oportunidades, as empresas devem ter uma infraestrutura de TI que seja segura, mas aberta, alinhada às necessidades atuais, bem como capaz de escalar para acompanhar as mudanças.

Independentemente do ponto em que você esteja na jornada à nuvem, é importante, quando possível, manter os investimentos na sua infraestrutura local. Afinal, uma pesquisa realizada pela IBM demonstra que as empresas obtêm 2,5 vezes o valor comercial da nuvem híbrida em comparação com uma abordagem de nuvem pública, apenas.

Uma estratégia de nuvem híbrida permite tirar o máximo proveito do que cada ambiente tem a oferecer, seja ele local ou em nuvem. Neste artigo, vamos apresentar alguns desafios que as empresas enfrentam para migrar à nuvem, destacar a importância da infraestrutura local e mostrar os benefícios de um ambiente híbrido e multicloud.

Como escolher o melhor ambiente para a sua empresa?

A questão hoje em dia não é mais se uma empresa deve ou não usar a nuvem, mas qual o ambiente que melhor se adequa para resolver cada tipo de problema. Ao adotar uma abordagem híbrida, você deixa de questionar se vai “usar ou não usar a nuvem”. Na verdade, você se pergunta “qual é o problema que estou tentando resolver?” e “qual ambiente e quais fluxos de trabalho da minha infraestrutura oferecerão a melhor solução?”.

Por exemplo, vamos supor que os workloads essenciais de sua empresa precisam de uma solução para recuperação de desastres. Porém, a sua infraestrutura não tem capacidade para manter localmente uma segunda cópia de todos esses dados. Nesse caso, a recuperação de desastres é um caso de uso para a nuvem pública. Os dados que residem no local podem ser colocados em camadas na nuvem para armazenamento de backup, com espelhamento quase em tempo real no ambiente local, para fins de consistência de dados. 

O mesmo pode acontecer com relação aos fluxos de trabalho de uma empresa. Porém, nesse caso, você precisará de um fluxo de trabalho híbrido. O software desenvolvido para ele deve oferecer, na nuvem pública, a mesma interface consistente de gerenciamento que você está acostumado a executar em seu ambiente local. Também deve ser oferecida uma visão holística de toda a sua infraestrutura de TI.

A importância da infraestrutura local na jornada rumo à nuvem

Um estudo de 2021, conduzido pela Forrester, constatou que a maioria das empresas pesquisadas adiou as atualizações de infraestrutura algumas vezes nos últimos 5 anos, priorizando outras iniciativas de TI em detrimento de investimentos no local. Após os adiamentos, metade dos tomadores de decisão de TI encontrou vulnerabilidades de segurança. Além disso, 44% deles relataram custos mais altos e 39% se depararam com restrições de compatibilidade.

Diante disso, nutrir o seu ambiente local é fundamental para uma estratégia sustentável de longo prazo para a jornada à nuvem. Uma estratégia de nuvem híbrida, que permita utilizar ambientes locais e em nuvem, pode ajudá-lo a respaldar as suas necessidades atuais de negócios e dimensionar sua infraestrutura para atender as suas metas futuras.

Existem três processos ou modelos de transição para aplicações e workloads de ambientes em nuvem:

Nascidos na nuvem: Aplicações e serviços nativos em nuvem que usam ferramentas e microsserviços de infraestrutura em nuvem para executar uma aplicação crítica.

Lift-and-shift: As aplicações originalmente desenvolvidas para execução local agora são portadas para execução em ambientes de nuvem. Embora a implementação em nuvem aconteça, você pode não ver o verdadeiro valor operacional e de escala dessa abordagem.

Refatoradas (modernizadas): Aplicações originalmente desenvolvidas para consumo local reescrito, usando arquiteturas de microsserviços em nuvem ou conteinerizadas. Sua aplicação pode não ter nascido na nuvem, mas funcionará como se tivesse!

Desafios da transformação na nuvem

As organizações agora enfrentam novos desafios para assegurar o desempenho sustentado, a integração contínua para ambientes em nuvem, a privacidade de dados, a perene entrega de operações e serviços de negócios. Nesse cenário, elas estão aderindo a transformação digital para atender as expectativas do cliente e satisfazer as necessidades de novos mercados.

A transformação na nuvem parece algo fácil quando alguns fornecedores a descrevem. A única coisa que as empresas precisam fazer, é migrar todas as cargas de trabalho à nuvem, modernizar suas aplicações e aproveitar todos os benefícios da transformação digital. Porém, se fosse assim tão fácil, a maioria das empresas já o teria feito.

Para atender às necessidades da empresa, é preciso modernizar toda a infraestrutura de TI. De acordo com um relatório da McKinsey & Company, os CIOs acreditam que as suas empresas não podem capturar os benefícios da agilidade, simplesmente mudando os aplicativos para plataformas em nuvem. Em vez disso, eles reconhecem a necessidade de reavaliar toda a sua infraestrutura e a maneira como ela funciona.

Porém, as organizações pesquisadas têm apenas 50% de todas as suas cargas de trabalho em execução, tanto em plataformas de nuvem pública, quanto privada. A realidade é que a maioria das empresas só completou uma parte do caminho em direção à nuvem. As cargas de trabalho mais simples estão no processo de migração, porém a maior parte ainda está na infraestrutura local.

Para acelerar a Transformação Digital, escalar os seus investimentos em nuvem e gerenciar projetos com segurança, as empresas necessitam de modelos com padrões abertos, que permitam tirar proveito de seus dados, processos e aplicações de negócios. Além disso, uma plataforma de nuvem deve oferecer transparência e facilidade de gerenciamento, para que as empresas possam se tornar mais competitivas e adotar todo o potencial que a tecnologia oferece.

Por isso, para transferir dados importantes de sua organização a terceiros, as empresas devem antes identificar os problemas potenciais e fazer um planejamento completo para lidar com essas questões. Entre os pontos principais a serem analisados, é preciso se certificar que o provedor oferece portabilidade de dados e sistema, interoperabilidade de serviços e um sistema de gerenciamento e segurança em nuvem. 

Para superar os desafios do caminho para a nuvem, as equipes devem gerenciar as complexidades que o modelo básico de nuvem não aborda. Isso significa enfrentar três desafios principais:

1. Necessidades únicas de carga de trabalho

Problemas cruciais, como segurança, conformidade e localização, significam que muitas empresas não podem simplesmente mover dados ou cargas de trabalho à nuvem pública.

Os padrões de tecnologia aberta têm benefícios, incluindo a capacidade de escolher entre mais fornecedores e, ao mesmo tempo, um alto nível de interoperabilidade. Os esquemas de código aberto podem oferecer às empresas a flexibilidade de se adaptar rapidamente às mudanças de negócios. 

A IBM Cloud é baseada em padrões abertos, com uma seleção de muitos modelos de nuvem; público, dedicado, privado e gerenciado, para que você possa executar a carga correta de trabalho e o modelo correto de nuvem, tudo sem falhas do fornecedor.

Por exemplo, uma organização financeira pode manter as informações de seus clientes mais confidenciais nas instalações, seus dados de marketing em um fornecedor de nuvem pública separado e uma aplicação nativa chave na IBM Cloud, com segurança e integração confiável ​​entre os três. Ter essas opções pode ajudar a atender as necessidades únicas de segurança ou de conformidade.

2. Múltiplas nuvens e fornecedores

De acordo com um levantamento da McKinsey & Company, 94% das empresas pesquisadas contam com múltiplos fornecedores de nuvem para atingir seus objetivos de negócio. Estamos vivendo em um mundo multicloud. As empresas precisam de ajuda para lidar com alguns dos desafios que surgem dessa realidade. As soluções de gerenciamento de multicloud podem oferecer visibilidade completa e controle na combinação preferida entre mais de uma empresa, com relação de fornecedores e modelos de nuvem. 

3. Falta de habilidades relevantes

É possível que algumas empresas não tenham a experiência interna necessária para resolver problemas, como a modernização de aplicações.

Benefícios de um ambiente híbrido e multicloud

Geralmente, as nuvens públicas não são implantadas como uma solução de infraestrutura autônoma, entretanto fazem parte de uma mistura heterogênea de ambientes. Isso resulta em mais segurança e desempenho, redução de custos e maior disponibilidade de infraestruturas, serviços e aplicações.

Transferir toda a infraestrutura e as aplicações de uma empresa para único provedor é pouco recomendável, devido aos fatores de segurança, eficiência e economia. De acordo com o levantamento da McKinsey & Company, 94% das empresas pesquisadas contam com múltiplos fornecedores de nuvem para alcançar os seus objetivos de negócio.

Portanto, ao escolher estratégias de proteção e segurança de dados, as empresas devem optar por soluções que possam ser ampliadas em infraestruturas de TI distintas. Desse modo, elas serão capazes de proteger os seus ambientes físicos, virtuais e em nuvem de ataques externos mal-intencionados, fraudes, acessos não autorizados e de violações internas. Em função disso, cerca de 81% das organizações já têm mais de um provedor de nuvem pública, segundo o Gartner.

As soluções de gerenciamento de multicloud permitem que as empresas combinem nuvens variadas para tirar proveito de características diferentes com flexibilidade e agilidade. Elas oferecem visibilidade completa e controle na combinação preferida de uma empresa quanto a fornecedores e modelos de nuvem, sem sacrificar uma rigorosa segurança.

Vantagens da nuvem pública e híbrida IBM

A IBM Cloud é uma plataforma que engloba diferentes serviços de Cloud à criação de soluções para empresas que buscam acelerar e modernizar o seu fluxo de trabalho. Ela disponibiliza mais de 170 produtos e serviços que abrangem recursos de dados, contêineres, IA, IoT e blockchain.

A IBM Cloud é a nuvem pública mais segura e aberta do mercado. A plataforma conta com recursos de isolamento integrado de carga de trabalho e segmentação de rede, segurança contínua de container e criptografia ponta a ponta de dados. Desse modo, ela garante a proteção dos dados armazenados, tanto em processamento, quanto em movimento. 

Além disso, os serviços IBM para nuvem usam a portabilidade em escala de contêineres como Kubernetes, ajudando você a modernizar aplicativos de missão crítica e infraestrutura mais rapidamente. 

A plataforma de gerenciamento integrado da IBM ajuda a simplificar sua arquitetura multicloud com total visibilidade, governança e conformidade em ambientes de nuvem. O seu ambiente híbrido com várias nuvens e portabilidade de contêineres permite modernizar aplicativos de missão crítica com menos esforço, tempo de desenvolvimento e despesas. Esses recursos auxiliam na otimização dos processos das empresas, reduzindo o tempo gasto e as despesas operacionais de TI.

A Certsys e a IBM para Cloud Computing investem fortemente em soluções de inteligência. Portanto, saiba mais como a Certsys e a IBM podem auxiliar as empresas a obterem vantagens competitivas com o desenvolvimento em nuvem, fornecendo toda a tecnologia necessária, com o melhor desempenho e flexibilidade. 

Acesse aqui.