Tendências de TI para 2018

[vc_row][vc_column][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]Até alguns anos atrás, quando se abordava tendências tecnológicas, tratava-se de projetos que evoluíam de forma distinta e podiam seguir independente das demais, por vezes, se encontrando apenas na parte de produção.
Atualmente, estas tendências são bem diferentes. As tecnologias estão evoluindo de forma que a própria evolução se confunde. Por exemplo, carros autônomos só são viáveis em conjunto com outras tecnologias, como a inteligência artificial.

Esta, inclusive, é uma das tecnologias que, entre todas, deverá ter mais destaque neste ano, dado o impacto da Inteligência Artificial entre tantas tendências e a grande vantagem competitiva que pode agregar às corporações, fornecendo dados de melhor qualidade, aprimorados cada vez com técnicas baseadas em machine learning.

Seu uso será pervasivo, tocando praticamente todas as áreas de negócio. Já é possível acompanhar sua utilização desde sistemas de conversação, algoritmos autônomos, até sua introdução em produtos tradicionais de mercado que já há algum tempo buscavam resultados através da análise de grandes bases de dados – como sistemas de monitoramento, análise de risco e segurança (conheça a visão dos executivos sobre inteligência artificial).

Outra tendência estruturante para 2018 é o IoT – Internet of Things (Internet das Coisas). Todos os anos agrega bilhões de novos dispositivos conectando-se em rede, interligando e coletando todo tipo de dados que a empresa possa ter acesso. Essa aglutinação de dados ganha grande importância quando utilizada junto à inteligência artificial, gerando insights a partir de toda a organização. Os resultados potenciais são novas ofertas, com novos modelos de negócio e novos mercados.

Quando juntamos tecnologias como IoT, modelagem e automação de processos e inteligência artificial, criamos a base para o desenvolvimento de processos relacionados à Indústria 4.0. Em especial, a de Gêmeos Digitais – a virtualização da fábrica, alimentada pelos dados reais coletados através dos sensores ao longo do processo de fabricação, que traz novas ferramentas às empresas, oferecendo novos ganhos de produtividade, previsibilidade e gestão.

Nesta área, teremos mais objetos inteligentes, como carros, drones e robôs, que trarão um grau de autonomia muito avançado, através do uso de sistemas que entenderão o ambiente e de técnicas de inteligência artificial, conseguindo tomar decisões operacionais sem intervenções externas, como visto nos últimos anos com carros autônomos, de forma ainda mais sofisticada.

Outro elemento já bem conhecido e que ganha ainda mais força é a própria Nuvem, ou Cloud Computing. Ela, que inicialmente viabilizou toda uma geração de inovação através da otimização de custos com hardware, transformando-os em commodities, vem evoluindo e agregando cada vez mais valor para as empresas (saiba mais sobre os modelos de nuvem)

Este ano, dentro do uso de cloud, a novidade será a aplicação da tecnologia em relação ao próprio processamento, oferecendo às empresas agregar o processamento de qualquer infraestrutura de nuvem dinamicamente para a execução de aplicações baseadas em containers. Isso traz muito mais facilidade para a integração da nuvem à arquitetura corporativa. Ainda, a nuvem está evoluindo e abrindo espaço para outra tecnologia, o Edge Computing, com foco nos devices de IoT que exigem uma grande quantidade de conexões simultâneas.

A realidade virtual também deverá ganhar mais destaque, com mais projeto de realidade aumentada inclusive, devido a grande expectativa que os dispositivos entreguem percepção visual próxima ao olho humano. Isso deverá acelerar seu uso de dentro do mundo restrito dos jogos para diversas áreas corporativas, como educação, manutenção de equipamentos, turismo, etc.

Mais um grande destaque que já esteve presente no decorrer de 2017 e deve ter ainda mais força este ano é o Blockchain, tecnologia que oferece segurança transacional sem a figura de um gestor central (como um banco que intermedeia a transferência entre duas contas correntes). Cada vez mais a tecnologia deve se desvincular das criptomoedas (como bitcoin) para ganhar vida própria pois, além do potencial óbvio no mercado financeiro, há muitas aplicações em diversas outros segmentos, do agronegócio à área de saúde (descubra os benefícios do blockchain).

Alinhado com a busca pelo aumento da produtividade que levou empresas a automatizar processos em todos os níveis, espera-se o uso em larga escala de RPA – Robotic Process Automation, uma solução que permite a automação de tarefas repetitivas executadas por pessoas, eliminando a necessidade de dedicar talento humano para funções que não necessitem de maior intelecto.

Com as tendências tecnológicas sendo cada vez menos apenas previsões e já estando presentes no dia a dia das corporações, é cada vez mais importante que os executivos analisem os impactos que elas podem trazer ao negócio, incluindo, muitas vezes, um questionamento sobre o modelo de negócio da empresa.

Hoje já existem muitos negócios criados e destruídos a partir do uso criativo de uma nova tecnologia. Por isso, é tão importante que as empresas não só as dominem, como também estejam sempre atualizadas sobre os impactos delas em outras dimensões corporativas.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Plataforma de serviços cognitivos para TI

[vc_row][vc_column][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]A IBM anunciou a primeira plataforma de serviços cognitivos focada na melhoria das operações e infraestrutura da área de TI das empresas. A IBM Services Platform with Watson oferece insights para previsão, identificação e resolução de potenciais problemas de forma automática, o que ajuda a reduzir interrupções nos negócios e a fortalecer a segurança do ambiente de tecnologia da informação das organizações. Clientes de serviços do Brasil já são beneficiados com elementos dessa plataforma.

Com o uso do Watson, sistema de inteligência artificial da IBM na nuvem, será possível prever problemas e proativamente acionar a automação para melhorar a qualidade, além de fornecer às equipes de TI informações críticas para ajudá-las a tomar decisões mais rápidas e baseadas em dados.

Nos próximos três anos, as indústrias enfrentarão um aumento no volume de dados, pois, a cada dia, cresce a adoção de dispositivos móveis e Internet das Coisas. Segundo pesquisa recente da IBM, aproximadamente 50% dos CEOs planejam adotar a computação cognitiva até 2019 e esperam um retorno de 15% sobre seu investimento. “Em um mundo onde a nova norma é a alta disponibilidade, as empresas esperam que seus parceiros de serviços tenham a capacidade de oferecer excelência operacional a qualquer momento, lugar e sistema”, explica Sergio Brito, vice-presidente da unidade de Serviços de Tecnologia da IBM Brasil. “Essa plataforma redefinirá a qualidade na prestação de serviços de TI e proporcionará vantagens competitivas significativas aos nossos clientes”, completa.

Com a plataforma, as ferramentas de automação podem fazer mais do que executar instruções simples. Agora, elas podem realizar diagnósticos e realizar ações para abordar a causa raiz dos problemas. Por exemplo, e-mails não estruturados e conteúdos em ferramentas de bate-papo podem ser lidos em linguagem natural e os insights extraídos podem ser usados para resolver problemas sem intervenção manual. Além disso, as melhores respostas às falhas também estarão disponíveis para que os especialistas técnicos possam chegar a uma resolução de forma mais ágil.

A plataforma dá suporte a todo o ciclo de vida dos serviços gerenciados, desde a concepção até a construção, integração e execução.  Mais de 10 milhões de interrupções de TI já foram processadas na plataforma. Além disso, essa solução já está resolvendo um milhão de incidentes por mês. Os clientes estão vendo melhoria de qualidade por meio da remediação automática de incidentes, reduzindo o tempo de resolução em até 90%.

Ao adicionar uma visão cognitiva, a plataforma leva a automação a simples tarefas repetitivas e ações mais complexas. A solução conta com base de dados IBM Data Lake, construída com informações coletadas em mais de 30 anos de experiência de serviços da IBM em indústrias como bancos, companhias aéreas e varejo. Além disso, permite que o cliente acesse e visualize o ambiente de TI em tempo real. Com os elementos da plataforma já utilizados por 800 clientes em todo o mundo hoje, IBM Services Platform with Watson está ajudando os clientes a melhorar seus negócios, proporcionando-lhes maior qualidade, melhor produtividade e inovação com informações orientadas por dados.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_separator][vc_column_text]

Fonte: Release IBM

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]